Cecilia

Cozinha

 Cozinha

 

Deixei queimar o doce

que fazia com todo o cuidado.

 

Se eu tivesse treze anos:

descuido de criança.

Se fossem vinte e três anos:

desídia de mocinha

Se fossem  trinta e três:

sobrecarga de trabalho.

 

Pequenos  acidentes comuns,

na cozinha.

 

Mas eu tenho oitenta e três,

com certeza é Alzheimer.

 

Vão se fechar os portões

do meu último reino.

 

  • Autor: Cecília Cosentino (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 19 de Outubro de 2020 11:55
  • Comentário do autor sobre o poema: Conforme passam os anos enta, vão se fechando nossas áreas de ação, utilidade, diversão. A solução é inventar outras
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações:
  • Usuário favorito deste poema:
  • Vinicius Paiva.

Comentários9

  • lucita

    Você é tão linda escritora, poeta!
    Boa semana!

    • Cecilia

      Muito obrigada, Lucita! Abraço.

    • Maximiliano Skol

      Querida Cecília, sua mente não vai lhe permitir Alzheimer, apesar do grupo de risco em que você se encontra.( Estou nesse barco).
      Boa sorte,
      Um abraço.

      • Cecilia

        Obrigada, Maximiliano. Espero ainda conviver lucidamente com vocês por alguns anos...Abraço

      • @(ND)

        Poeta Cecília, só de ler suas poesias se vê que o Alzheimer, não irá se aproximar de você, todos nós estamos no barco da vida e sujeitos aos intepéries das dores, sinto-me honrada pela oportunidade de ler tão belas poesias. Gratidaão pela partilha!

        • Cecilia

          Obrigada, Neiva. Estoum cuidando bem da minha lucidez. Quero ler muito vocês, ainda. Abraço.

        • Ary Bueno [ O Príncipe dos poemas e do amor]

          Ah ! jovenzinha Cecilia, o coração e a mente de quem escreve tão lindamente, não a Alzheimer, que nos aquente... vamos seguir em frente, pois assim deixamos os jovens mais contente, por saber que viveremos através de nossos poemas eternamente. Abç,,,não esqueça de ir tomar a gotinha, da Sabin,,, eu ja fui. Abç. e desculpe a brincadeira.

        • Ernane Bernardo

          Deus deu ao poeta o dom de eescrever com sabedoria com variedades de temas, "cozinha" olha que doçura, quantos receitas já passaram pelas suas mãos. tenha certeza que não é alzheimer e um todos voltaremos a ser criança.
          "Se eu tivesse treze anos:
          descuido de criança.

          Um grande abraço com sabor de DOCE!

          • Cecilia

            OBRIGADA, ERNANE, PELO COMENTÁRIO ANIMADOR E PELO ABRAÇO DOCE. OUTRO PARA VOCÊ.

          • Hébron

            Cecília, adoro seus textos! E o desdobramento das fases da vida é como um desabrochar de flor, é um milagre, é uma benção e, nessa estrada já tão ida, você faz nascer sentimentos e emoções com os frutos da sua sabedoria, das suas ricas palavras, habilidade da escrita, criatividade poética e muita jovialidade em versos...
            Somos para sempre! E os poetas são ainda mais para sempre!
            Abraço

            • Cecilia

              Hébron, agradeço, encantada, suas palavras animadoras. Você não avalia o prazer de uma velhinha ao saber seus textos ainda apreciáveis! Abraço.

            • Edla Marinho

              Com, certeza, como os colegas já disseram, com esse dom e mestria com que escreves, querida Cecília, ainda vai nos brindar com sua arte por muito tempo.
              Grande abraço.

              • Cecilia

                Muito obrigada, Edla! Pretendo ler você muito tempo, aqui e no Insta. Abraço.

              • Chico Lino

                Querida Cecilia, que satisfação são seus versos; estava com saudades...

                O.que entendi nos quatro anos de Análise, hipnose e tais, foi que quando temos a consciência da loucura, é que não somos loucos; o que deve funcionar para o "Alemão"...

                De qualquer forma, fico com o Opiário, de Fernando Pessoa: "É antes do ópio que minha mente é doente..."; acho que antes da Poesia, talvez eu fosse... tem uma musiquinha antiga, nem sei se tem no YouTube; sobre uma vozinha caduca, que salga o café e põe açúcar no feijão; não é o nosso caso, ainda... kkkkk... beijos, amiga!

                • Cecilia

                  Obrigada, Chico Lino. Não troco os temperos ainda, mas queimo as panelas...Abraço.

                • Claudia Casagrande

                  Dona Cecília, como gosto dos seus textos.
                  Obrigada pela oportunidade
                  Beijos

                  • Cecilia

                    Beijos, Cláudia. Não é uma delícia este espaço?



                  Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.