Lilian Fátima

Ó coração!

Ó coração que de mim judia!

Tu és culpado de vários enganos.

De querer o que eu nem podia,

Num pesar, afoguei-me em prantos

 

Por ti, me entreguei à fantasias,

Que me fizeram sofrer tanto.

Alheia à razão, busquei a rebeldia,

Eis a causa desse desencanto.

 

Coração ferido, me deixou arredia.

Desconfiada , fico no meu canto.

Nem sei como te inserir na poesia,

Metrificada ou num poema branco.

 

Ó coração que de mim judia!

Ame, mas não me cause mais espanto.

Devolva-me a alegria que eu sentia,

E te aclamarei em versos, eu garanto!

Comentários2

  • (Neiva Dirceu)

    Linda poesia Lilian, Gratidão pela partilha... Degustei cada palavra! Falar de amor sempre é muito inspirador...

    • Lilian Fátima

      Agradeço a atenção e carinho. Abraços

    • Nelson de Medeiros

      Bravo Lilian. Beleza de puro encanto. Tão bem colocada a tua idéia que cantando-a o leitor viaja e se emociona!

      1 ab

      • Lilian Fátima

        Agradeço a atenção e carinho. Abraços



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.