Ema Machado

Confissão...



Confesse...
Que assim, como a mim
Essa distância o entristece
Que alçaria voo
Viria a mim se pudesse
Confesse...
Que sonhar comigo, é dádiva, privilégio,
Se não acontece
Sonha sempre acordado
Sorri
Imagina meu corpo ao teu lado
Quando se aquece 
Após se cobrir no frio gelado...
Confesse!
Se arrepia...
Ao imaginar por mim ser tocado...
Confesse!
A falta que faço
Por não conhecer 
O sabor mentolado de meus lábios
Nem sentir 
O toque de meus dedos trêmulos em sua face
O enlace de meus braços
Quando sente- se solitário...
Confesse imaginar
Ser meu, o toque
Quando há outra a te tocar
Que sou eu a beijar sua pele
Na hora de se banhar...
Em fim
Confesse a mim
Como eu a você...
Quanto mais o tempo passa
E deseje te esquecer
Sinto que, meu sentir mais real
É, amar você...
Confesso...

Comentários12

  • Romárico Selva

    Lindo!!!!Parábens , poetisa.

    • Ema Machado

      Obrigada, por sua apreciação. Gde abç,

    • CORASSIS

      Confesso poetisa, que este poema tem cada letra, a beleza do amor !
      Bom te ler.
      Abraços

      • Ema Machado

        Obrigada, Corassis. Sempre gentil. Abraços,

      • Valdeci Malheiros de castro

        Versos de rara beleza. Grato por partilhar conosco.. . Uma boa noite.

        • Ema Machado

          Obrigada, por sua apreciação. Abraço,

        • Edla Marinho

          Numa sutileza de dar gosto, mostrando o desejo que, ora confessado, intima o amado à confissão de que, também, sofre por desejar estar em braços " errados".
          Linfo e tocante, amiga poeta.
          Fico feliz toda vez que consigo remir o tempo e visitar seu canto poético.
          Tenha uma noite abençoada e cheia de inspiração
          Meu carinhoso abraço.

          • Ema Machado

            Sembre gentil e amável em sua apreciação. Obrigada Edla, estava sumida! Abraço carinhoso!

          • Helio Valim

            Parabéns Ema. Poema sensual, dramático e musical. Quase um Tango portenho. Um abraço.

            • Ema Machado

              Obrigada por sua apreciação, Helio Valim. Grande abç,

            • Ernane Bernardo

              Que maravilha, eu confesso que na beleza dos teus versos, tem sutileza, tem alegria e muito amor, eu confesso Mari, belo poema poetisa.

              Forte abraços!

              • Ema Machado

                Obrigada, poeta! Muito bom contar com seu comentário. Grande abç,

              • Cecilia

                Muito lindo, Ema! gostoso de ler, de imaginar...Ficou perfeito no fim, quando você mudou a pessoa do verbo. Bj

                • Ema Machado

                  Obrigada, Cecília querida! Tenha um excelente final de domingo! Beijos

                • lucita

                  Sebtimebto belo e obstinado.
                  Insistente em fazer doer em algans...
                  E apesar disso, belo demais é o amor!

                  • Ema Machado

                    Obrigada por sua apreciação, querida amiga! Grande abraço,

                  • Edla Marinho

                    Quero repetir na íntegra o comentário que fiz antes, plagiando a mim mesma :

                    Numa sutileza de dar gosto, mostrando o desejo que, ora confessado, intima o amado à confissão de que, também, sofre por desejar estar em braços " errados".
                    Linfo e tocante, amiga poeta.
                    Fico feliz toda vez que consigo remir o tempo e visitar seu canto poético.
                    Tenha uma noite abençoada e cheia de inspiração
                    Meu carinhoso abraço.

                    • Ema Machado

                      Gratidão pela releitura!

                    • Edla Marinho

                      Amei declamar essa linda poesia, amiga linda!

                      • Ema Machado

                        E o fez lindamente! Gratidão!

                      • (ND)

                        Ema sempre demostrando o melhor em poesia, num toque suave só seu... Obrigada pela partilha.

                      • Hébron

                        Sempre ótima, Ema!



                      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.