Nathália C. Araújo

estilhaços

 

não é sobre o copo quebrado
nem sobre o preço dele
nem sobre as vezes que quebrou
mas sobre os cacos
os cacos no chão
espalhados
cortantes
imprevisíveis
o que um dia foi vidro com formato e utilidade
virou um amontoado de cacos
minúsculos
quase invisíveis
mas sempre espalhados
cortantes
imprevisíveis
juntos na pá não passam de cacos
com apenas uma coisa em comum:
a queda do que um dia foi copo
mas não é sobre a queda
nem sobre o preço
nem sobre a forma
é sempre sobre o que restou
pequenos
escondidos e à mostra
dolorosos
ameaçadores
c
     a
c
     o
s.

  • Autor: Nathália C. Araújo (Offline Offline)
  • Publicado: 10 de Setembro de 2020 22:07
  • Comentário do autor sobre o poema: Da madrugada dolorosa de 19 de maio de 2020.
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações:
  • Usuários favoritos deste poema:
  • Luiz Rossini, Eco, Vinicius Paiva.

Comentários6

  • Victor Eduardo

    Angustiante, melancólico e bem escrito. Parabéns, Nath!

    • Nathália C. Araújo

      Feliz em passar o sentimento e a essência do texto. Obrigada, Victor!

    • Nelson de Medeiros

      *****
      Para teu lindo poema
      1ab

    • @(ND)

      AMEI A ESCRITA... NÃO É SOBRE CACOS ... É SOBRE O SER EM FORMA DE CRISTAL... DOLOROSO...

    • Valdeci Malheiros de castro

      Parabéns pelo lindo poema. Tenha um ótimo dia.

    • Cecilia

      Nathalia, belíssimo poema. Doloroso, leio copo e caco , penso corpo e morto. Parabéns

      • Nathália C. Araújo

        Muito obrigada, querida! Feliz por sua interpretação!

      • Vinicius Paiva

        Incrível como o sentimento forte e sombrio me transparece por meio dessas belas palavras! Achei belíssimo!



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.