Dona Alcedina, a poeta de 63 anos descoberta pelo projeto “TerPaz”

A poesia não tem idade, não tem tempo certo. E isso aprendeu pessoalmente Dona Alcedina, de 63 anos, poeta descoberta pelo projeto “TerPaz”.

Dona Alcedina, a poeta de 63 anos descoberta pelo projeto "TerPaz"

Residente do bairro de Guamá, em Belém do Pará, a dona de casa tem uma facilidade enorme para compor os versos. Segundo conta ela mesma:

Dona Alcedina conta que sempre gostou de criar, ainda que não tenha tanto tempo assim desde quando tornou-se poeta.

Ela conta que começou fazendo poemas na igreja para diferentes ocasiões como aniversários. E sobre sua facilidade em versar, ela diz que basta dar-lhe um tema e ela consegue criar um poema sobre aquilo.

Mas tudo começou para valer em sua vida quando ela participou do programa “TerPaz”, o qual é promovido pelo governo do estado.

No último sábado, dia 4 de dezembro, ela se dirigiu até o estande do Programa na 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, como convidada. E lá ela declamou alguns de seus poemas, tendo declamado também um que compôs especialmente para o evento.

 

Quando tudo começou e a oportunidade de declamar seus poemas

Dona Alcedina possui alguns problemas de saúde e foi até o “TerPaz” em busca de se tratar com especialistas. Mas lá ela encontrou muito mais do que isso. Amizade e acolhimento foi o que a dona de casa também recebeu no local.

Juliana Barroso, que é diretora geral do Núcleo de Articulação da Cidadania, conta que Dona Alcedina já participava das ações do programa e no último sábado ela pediu para declarar um poema que escreveu, o que emocionou a muitos. Nisso, Juliana convidou a dona de casa para a Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes

E Dona Alcedina está muito empolgada com isso:

Comentários1

  • SANTO VANDINHO

    Paz e Bem ! Parabéns Poetisa ! Beijusssss

Enviar comentário