Helio Valim

Sem rumo

 

Eu, só, solidão,

perdido na multidão,

que caminha sem rumo,

sem destino,

que anda, a procura da fé...

 

Eu, só, solidão,

sinto a brisa soprando,

vejo a rosa chorando,

a vida correndo,

sofrendo a agonia do tempo...

 

Eu, só, solidão,

vejo a noite,

ela desce soturna

e confirma a solidão,

a angústia da escuridão...

 

Eu sofri, corri,

fugi da multidão,

abandonei a confusão,

gritei, berrei,

perdi a razão, acordei...

 

Eu, agora, sem hora,

sinto-me só,

perdido, sentido,

sem destino, sem tino,

sem rumo, eu sumo...

Comentários9

  • Maria dorta

    Hélio,espero que seja apenas um exercício de poema quase " noir" e estejas usando o que só o poeta sabe fazer,: fingindo que é dor, a dor que o faz sofrer. E tudo passa,tudo passará. Bom ler seu exercicio!

    • Helio Valim

      Olá Maria Dorta. Não se preocupe. O poema reconhece uma realidade que não é a minha. A poesia pode e deve ser a voz de muitos! Um grande abraço.

    • Ema Machado

      Existem muitas "solidões" na multidão... Expressa em poesia é perfeita! (Que a realidade não seja verdadeira)

      • Helio Valim

        Olá Ema, obrigado pelo comentário. A poesia deve expressar todas as realidades, mesmo as mais difíceis. O poeta deve ser o cronista dessas diversas realidades. Mesmo que não sejam suas! Um abraço.

      • CORASSIS

        O poeta enxerga o coração alheio !
        Parabéns Hélio.
        Abraço.

        • Helio Valim

          Caro Corassis, obrigado pelo comentário perfeito. Esse é o papel do poeta. Um abraço.

        • Hébron

          Helio, poesia de todas as emoções... Hoje versos de lamento, sofrimento e drama!
          Abraço, meu amigo

          • Helio Valim

            Hébron, o poeta pode e deve experimentar várias emoções e sentimentos em seus textos. Caro amigo, estamos em sintonia o seu soneto "Lancinante" segue a mesma "vibração". Um grande abraço.

          • Zaira Belintani

            Na solidão você se encontra e se perde.
            Quanto maior a multidão que nos cerca, maior é a sensação de estarmos sozinhos.
            Achei perfeito seu poema, Helio.

            • Helio Valim

              Zaira obrigado pelo comentário! Sem dúvida. Perdido na multidão a solidão só aumenta. Um abraço.

            • Ernane Bernardo

              Belo poema poeta Helio Valim, é como meu conterrâneo Alceu Valença canta:
              "A solidão é fera, a solidão devora
              É amiga das horas, prima-irmã do tempo
              E faz nossos relógios caminharem lentos
              Causando um descompasso no meu coração…"

              Um forte abraço!

              • Helio Valim

                Olá Ernane. Sem dúvida belos versos (creio que são de Zé Ramalho). Um grande abraço.

              • Shmuel

                Gosto deste poema que abordam a solidão de forma profundo.
                Parabéns fizeste uma leitura exata do ser só.
                Abraços ao poeta, Hélio Valim.

                • Helio Valim

                  Obrigado Shimul. Gostei muito do seu comentário. Creio que esta seja a forma mais verdadeira e, portanto, mais intensa. Um grande abraço.

                • Claudia Casagrande

                  Gostei demais.
                  Que oportunidade fantástica estar neste espaço e ler poemas como este.
                  Obrigada

                  • Helio Valim

                    Obrigado Claudia. Fiquei feliz com o seu comentário. Realmente este espaço de interação é muito bom. Um abraço.

                  • Um poeta gótico

                    Profundo! A poesia trata tudo o que sentimos quando estamos sozinhos em versos muito bem estruturados. Parabéns poeta

                    • Helio Valim

                      Obrigado pelo generoso comentário. O poema é impactante pela sua sinceridade aguda. Um abraço Poeta gótico.



                    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.