Ana Vilarejo

Poema concreto


Poema concreto
A distância
é um muro...
- Ana Vilarejo


"CONCRETO"
Passível de ser captado pelos sentidos!
O que é real!
O que é existente!
O que é verdadeiro!
Mas, sendo tudo isso Concreto...
A mentira também é concreto, pois...
(Mentira é uma Verdade, que nos faz Infeliz)!
E...
(Verdade é uma Mentira que nos faz Feliz)!
"MESMO SENDO CONCRETO"
------------
PAZ E BEM


Entender-se
O coração quase se aquece
é quase não tem calor nem prece ;
Uma ponte liga a alguém
Que não atinge a ninguém:
calar -se


Tudo que captamos, se torna concreto
Mesmo a mentira, este ser, tão abjeto
Faz estragos, machuca, fere nos engana
De repente, em certos casos, se torna humana
E a verdade, nem sempre, é uma coisa bendita
Pois pode ferir, machucar, humilhar, ser maldita
Este imenso muro, que é a distância, longe ou perto
Torna-se um tênue fio, entre verdade e mentira
Transformando, em oásis, este enorme deserto
Que não podemos saber o que é mau, ou bom
Portanto este poeta, conclusão, juro, não tira
Prefiro esperar aqui, comendo um gostoso bombom,
Que não é abstrato, é concreto. Ary


Meu CORAÇÂO, Esse sim é mais que concreto
Tocado por seres abjetos
Faz-se pungente
E perfura o poetismo vigente
Em meus momentos que atesto
Desconhecer um poema tão concreto
Ou abstrato para um ego secreto


Nada é mais concreto que a palavra
Com ela se constrói, se desarma
É condutora de toda ação
Seja ela proferida, ou não...
Palavra bem dita, maldita
Prece ou palavrão
Terá destino certo, nunca é em vão…

Comentários2

  • Ernane Bernardo

    Obrigado pelo convite Ana Vilarejo, quando eu terminei a minha estrofe, já tinha completado as 6, mas o resultado ficou muito bom, parabéns a todos.

    vou adaptar a minha estrofe e dá um título.

    Abraços!

    • Ana Vilarejo

      Igualmente, agradeço poeta Ernane
      Seja bem-vindo sempre.
      Gratidão a todos.
      Parabéns, poetas
      Grande, abraço!

    • NeivaDirceu

      Amei , seu poema , Ana, já degustando cada palavra concreta.
      Não deu para participar deste poema, perdi esse, no próximo estarei presente. Gratidão!

      • Ana Vilarejo


        Será um prazer poetisa
        - Seja bem-vinda
        Gratidão!



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.