Nelson de Medeiros

ONDE ESTIVERES



ONDE ESTIVERES

 

No horizonte o trovão no céu bramia...

O arvoredo se envergava a ventania

Tal como o bardo se vergava à solidão!

O mar revolto em tristeza se espraiava,

E a saudade- da paixão fiel escrava -

No peito ardia destroçando o coração!

 

E entre a dor, entre a saudade e a lembrança,

A minh!alma se transmuda em esperança

De que me ouças neste azul sem dimensão!

Vem, trespassa  as longas ondas da distância,

Sintoniza  teu amor em minha ânsia

Na frequência sem par desta  emoção!

 

Ah! Musa eterna, compadeça dos meus ais!

Ouve agora meus gemidos tão reais

Que d! alma saem em  prece de socorro!

Ah! Tu não vens não me mostras teus encantos,

E de dores, de amarguras entre prantos,

Eu desfaleço, e de saudades quase morro!

 

Mas, se não te sinto mais alma corpórea,

E tua face se estampa em cor marmórea,

Inda me resta o saber da eternidade!

Na mente eu te percebo lado a lado,

E por isso é que assim alucinado,

Sonho ainda com a imortal felicidade!

 

Escuta, pois, doce musa, meus clamores!

O perfume que invejava a tantas flores

Não mais exala do teu corpo nacarino!

Ah! Por teus lábios e teus beijos inda eu gemo!

E em pensamentos à deriva chego ao extremo

De te buscar na imensidão em desatino!

 

Ao bardo já não basta à lira triste,

Que se repete nesta estrofe que persiste:

Onde habitas neste céu ó minha estrela!

Quero achá-la no infinito que ignoro

Para dizer que é a ti que eu tanto adoro

E dar a vida num minuto para vê-la!

 

Volta de onde estiveres. Sê clemente!

Vem sentir este amor que inda é presente,

E que minh!Alma em desesperos entrelaça!

Volta outra vez ao flamboyant amigo,

Vem deitar à sua sombra o amor antigo

E me dizer o que sem ti, queres que eu faça!

 Nelson De Medeiros

27/08/2020

Comentários10

  • Nogueira_greg

    Muito bom, parabéns! Se tem algo que sinto falta, é paradoxalmente da saudade

    • Nelson de Medeiros

      Saudade boa é sempre motivo de saudade.

      1 ab

    • Hébron

      Seu poema transborda emoção, com um sentimento forte manifesto em versos em sublime arrebatamento da inspiração...
      Sabe bem meu amigo que sua emocionante mensagem, por sua verdade, chega plena em qualquer dimensão que esteja seu afeto... Ao amor, nobre poeta, não se impõe fronteiras, por ser a fragrância do próprio Deus da nossa divindade!
      Poema tocante e de primorosa beleza...
      Grande abraço

      • Nelson de Medeiros

        Boa tarde poeta.

        Sempre um comentário encorajador do amigo poeta.

        1 ab

      • Valdeci Malheiros de castro

        Um poema maravilhoso. Uma bela viagem pelos caminhos do amor. Um abraço.

        • Nelson de Medeiros

          Valeu companheiro.
          Grato por sua interação.

          1ab

        • Edla Marinho

          Impossível não se emocionar com um poema tão cheio de amor, saudade, esperança de rever, mesmo em outra vida... Outro espaço, na eternidade...
          Lindo demais e me faz lembrar, também, o mesmo desejo que trago n'alma.
          Na leitura, embalada pela música, viajei...
          Tenha um lindo dia!
          Meu abraço.

          • Nelson de Medeiros

            Obrigado poeta.
            Creia.... Outra vida é verdadeira.


            1 ab

            • Edla Marinho

              Pois eu gostaria de saber sobre essa verdade.
              Um abraço.

            • Eras

              Bom dia, poeta.
              Emocionante e muito belo o seu poema.
              Impossível ler e não se sentir tocado pelas palavras.

              • Nelson de Medeiros

                Valeu mesmo poeta.
                Obrigado pelo incentivo sempre necessário.

                1 ab

              • Cecilia

                Maravilhoso, Nelson,é um prazer escorregar por esses versos ricos, entusiasmante saber que quem arquiteta um poema desses, lê e comenta os nossos. Obrigada!

                • Nelson de Medeiros

                  Poxa. Obrigado digo eu poeta.
                  Sempre um privilégio ter a sua companhia nas minhas pobres letras.

                  1 ab

                • Elfrans Silva

                  Excelente. Lembrou, ao final dessa mensagem, onde começou: o flamboyant remete ao arvoredo do principio da composição. Taí algo a valorizar mais ainda a inspiração para o seu tema. Tipico de quem não se perde na sua OBRA. Parabéns

                • CORASSIS

                  Poema tocante!
                  O amor a saudade e o tempo
                  trio que deixou marcas com o incrível arremate:

                  "Volta de onde estiveres. Sê clemente!

                  Vem sentir este amor que inda é presente,

                  E que minh!Alma em desesperos entrelaça!

                  Volta outra vez ao flamboyant amigo,

                  Vem deitar à sua sombra o amor antigo

                  E me dizer o que sem ti, queres que eu faça!"

                  Aplausos !!!
                  Abraço nobre amigo

                • Menino e a Lua

                  Isso é uma obra! a Saudade retratada de tal forma que seria difícil ter melhor que está descrição.

                  Sempre com vocabulário enriquecedor, me emociono e ao mesmo tempo aprendo muito com você Poeta.

                  Mais uma vez Parabéns.

                • Kermerson Dias

                  Inspirador! Parabéns!!!



                Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.