Maria dorta

Tão de repente

Eu não te idealizei

Nem te sonhei assim como eras

Nem estava a tua espera.

Eu esperava sim,um amor

Mas,ele não tinha  tua cara,

Nem teu odor,fumavas.

Mas,bastaram algumas palavras

pareciam sinceras,confissões 

Olhares de pura admiração.

E aquele beijo roubado...

Lá  fiquei eu,estática,atordoada

Sempre fui aberta e crédula

Foste tão convincente. Acreditei.

Passei a arar minha gleba para abrigar

você e o que querias me dar.

Acariciaste- me com palavras de sonho

Tinhas tantos desejos e quimeras...

Mas,quando me tocantes,estranhei

Tão pudica,empaquei submergi

Um mundo de timidez

Não me entreguei como querias.

Aí,tudo esfumou- se

O sapo foi coaxar n outro barreiro!

 

Maria Dorta   escrito nos idos de 2017.

Comentários6

  • CORASSIS

    Espetacular !
    Bela descrição das expectativas !
    belo , chapéu

    • Maria dorta

      Grata,amigo.Com uma pitada de humor rsrs

    • Wilson Karvalho

      Também achei espetacular.
      Tanta imaginação!
      Abraços.

      • Maria dorta

        Imaginação e vivências,meu caro.grata pela leitura atenta!

      • Ema Machado

        Ainda bem que se foi, não valeria as penas... Belos versos! Abraços,

        • Maria dorta

          Rsrs tudo se vai na vida! Criação poética!

        • Ana Fonseca

          Belo poema!

        • Ernane Bernardo

          Belo registro poetisa Maria Dorta, essa pitada de humor deu um charme a mais. Boa tarde, abraços poéticos.

        • Maria dorta

          Ainda bem que você compreendeu. Hahaha!



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.