Harpyja

O Vento



Parei de sonhar,

deixei de me atrever.

Aprendi a ter controle,

ter limites. Me conter.

Parei de me envolver 

com coisas pra me entreter,

parei de me doar,

pro meu próprio desenvolver.

Há quem vá me dizer

que estou nova pra sentir

o fim da vida vir,

pra a vida eu devolver.

Mas eu não sinto em dizer

que sinto meu saber

como algo que me move

de encontro ao padecer.

Estou em apatia,

estágio de incubação 

da minha alma no corpo,

pra falar com exatidão.

Estou em melancolia,

eterna situação

de quem entendeu a vida,

e convive com a depressão.

 

Depressa soprou o vento,

Deus vindo me lembrar

que O Verbo Em Carne está vindo

logo para me levar...

Comentários6

  • CORASSIS

    Belo poema !
    escreveu com coragem e sensibilidade . mas tudo se resolve com ajuda de Deus!
    Abraço


    • Harpyja

      Acredito e tenho fé que sim!! Obrigada pelo comentário Poeta amigo.. Forte abraço.

    • Hébron

      Menina poetisa, sua sensibilidade nos versos de lamento expõe um anseio pela liberdade maior que sabemos ser muito além dessa vida... Mas o valor dessa vida vale essa reflexão! "...Deus vindo me lembrar..." que o tempo é dele.
      Abraço!

      • Harpyja

        Deus me lembra que a vida vale a pena cada vez que leio um comentário tão sensível quanto o seu em meus poemas. Obrigado amigo poeta, abraço...

      • Maria dorta

        Mas não vá embora ainda,pois você muito tem a aprender da vida novas missões. E com seu dom de poesia fazer,vale a pena viver,seguir poetando e depressão esquecer.

        • Harpyja

          Pretendo esquecer a depressão, leva-lá a abolição. E comigo terei somente esses comentários amáveis em meu coração... Obrigada pelo carinho, forte abraço.

        • Edla Marinho

          Muitas vezes escrevemos sobre a vida...
          os momentos felizes, os amores... As flores, mas há quem, e me incluo, nalgum momento precise escrever sobre nostalgia... Sobre brevidade de vida, sobre distimia e até depressão. Mesmo sendo uma reflexão um tanto pesada para tão pouca idade, a poesia encheu sua alma e teve que expor esse lamento, querida menina.
          Mru abraço.

          • Harpyja

            Não podemos esquecer que a vida é uma flor, e que também tem seus espinhos. Mas toda ela é bela e admirável poesia... Obrigada pela atenção, abraços.

          • (Neiva Dirceu)

            Quão belo são os teus versos , Harpyja, são versos que comunica a alma , é dialogo com a essência, curando a dor, lindeza de menina , sua sensibilidde encontrará respostas para a vida , se aqui não encontrar, agarra-te à promessa que está lá nos versos de Paulo Apóstolo... Em Corintios 13:1-13 ... Leia e verá quão belo é o amor que nos move , e a promessa é... "Hoje nós vemos como por um espelho, mas chegará um dia em que veremos face a face e tudo será revelado"... Seus versos buscam vida em seus lamentos... Abraços e tenha um domingo abençoado!

            • Harpyja

              Obrigada Neiva, uma revelação sempre traz espanto e admiração. A vida que busco em versos recebo em comentários como o seu! Obrigada pelo carinho, um abraço forte pra você...

            • lucita

              E quando inspiração vem assim, com melancolia...
              Que fazer filha? Escrever, ou chorar, ou botar pra fora e esperar...
              Em Deus.
              Eu te dou colo, é o que posso fazer...

              • Harpyja

                Como diz aquele poema que fiz para o Davi, "colo cura...". E em dias assim é tudo o que eu preciso! OObrigado da por tudo mamãe, te amo.



              Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.