Ema Machado

Ruminando Silêncios...


Aviso de ausência de Ema Machado
NO


Ruminando Silêncios

 

Rumino...

Mastigando pensamentos amargos

Bebo das horas vazias

Tornam-se mórbidas...

Duelo com meus erros

Necessito abate-los

Refazer o trajeto, ainda que inteiro.

Neste embate, a apatia me abate

O desânimo é desumano

Muito silêncio, piso em ovos

Para não me perder de você

Sufoco...

Muito silêncio...

Meu grito é mudo

Ainda que o ouças

Faz-se de surdo...

Quem sabe, seja

Este é meu anseio

Para ouvir um silêncio

Verdadeiro...

Ema Machado

 

  • Autor: Ema Machado (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 28 de Novembro de 2020 17:12
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações:

Comentários6

  • Maria dorta

    Lindo( embora triste) poema! Muito inspirada "meu grito é mudo aí da que o ouças,faz_se de surdo..."

    • Ema Machado

      Gratidão, menina! Ando com pouco tempo, mas sempre bom estar entre amigos.

    • Ary Bueno [ O Príncipe dos poemas e do amor]

      Gostei do que li. Realmente o silencio as vezes exprime verdades que o coração entende, as verdades que nossa mente não capta, mas o sensor do coração é infalível. Gostaria de contar com sua visita e comentários em meus poemas. Grande abç.

    • Hébron

      Li em respeitoso silêncio seu lindíssimo poema!
      Abraço, Ema

      • Ema Machado

        Obrigada, amigo Colibri! Grande abraço,

      • Edla Marinho

        O silêncio faz bem à alma.
        Lindos versos, amiga Ema!
        Meu abraço.

        • Ema Machado

          Obrigada querida, meu abraço,

        • Shmuel

          Adorei declamar está poesia linda. Abraços a grande poeta Emarileine.

        • Geralda Maria Pinheiro Figueiredo Pithon

          É verdade amiga Ema, as vezes é preciso silenciar, para se auto conhecer, ou até mesmo para buscar os seus anseios mais profundos!
          Um grande poema!
          Parabéns amiga Colibri!

          • Ema Machado

            Obrigada, querida! Grande abraço,



          Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.