Shmuel

Pífios mestres

 

Teu sorriso entres dores,
Um alívio, uma brisa,
Todos esses anos vividos, 
não me deram sabedoria,
diante da sua breve vida,
No calabouço me recolho,
Vou reaprender no silêncio,
A raiva, ódio, os ressentimentos
Pífios mestres
Que por vezes consultei,
 Caminhos imperdoáveis
que com certeza trilhei,
por orgulho, insegurança,
esta cartilha adotei,
Peço perdão, fui negligente,
estava cego e via,
Foi um erro
Peço perdão, rejeito tudo que fiz,
Estava tomado pela maldade
Faltou-me inteligência,
Confundi tudo,
Ética, moral, caráter, dignidade
Li os livros errados,
fui um aprendiz desastrado,
De tudo me arrependo,                   fui horrendo, fui feio 

Deveria ter sido mais paciencioso
 e deixado os dragões me consumirem,
Fui fútil, fui coiote,
Antes fosse o cordeiro.

  • Autor: Shmuel (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 23 de Agosto de 2022 04:13
  • Comentário do autor sobre o poema: Um balanço retardatários sobre a vida. O curioso que achei este poema no meus ZAP (arquivo), fiquei em dúvidas, se era da minha autoria. Mas pela cadência e estilo deve ser mesmo.
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações:
  • Usuários favoritos deste poema:
  • Ema Machado, LEIDE FREITAS, luamar.

Comentários7

  • CORASSIS

    Bravo Shimuel!
    Você é como uma ostra , produzindo belas pérolas poéticas !
    Abraços amigos .


    • Shmuel

      Você é demais! Um cavalheiro!
      Boa tarde!

    • Altofe

      Há uma grande energia nessa sua poesia descarregada em turbilhão de reflexões intimistas. Parabéns! Abs.

      • Shmuel

        Sim, concordo querido Altofe! As precisamos fazer estas analises.
        Boa tarde!

      • Vilmar Pereira

        Uma bela reflexão esotérica, que todo mundo uma hora devia fazer. Um abraço e tenha um bom dia!

        • Shmuel

          Perfeito comentário! Nossas culpas, nossas máximas culpas!
          Abraços!

        • Onurb

          Sem palavras.

          • Shmuel

            Obrigado pelo carinho com as minhas poesias.
            Boa tarde!

            • Onurb

              eu é quem agradeço, você inspira.

            • LEIDE FREITAS

              Uma análise dos próprios pecados, vou aproveitar a deixa e analisar os meus. Excelente poema!

              Boa noite, caro poeta Shmuel!

              • Shmuel

                Precisamos fazer estas meias culpas.
                Abraços,

              • luamar

                por vezes, coiote.
                por vezes, cordeiro.
                Todos já foram ou são aprendizes, e por muitas vezes, desastrados!
                Gratidão!

              • Shmuel

                Sim, é verdade, mas os coiotes não passaram impunes.
                Abraços



              Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.