LEIDE FREITAS

ASCENSÃO

Vi na distância do tempo se perder

Uma vaga silhueta humana, 

Embora eu não conseguisse ver

A imagem com a nitidez precisa.

Via uma sombra indefinida

Talvez, só um pouco perdida

A caminhar estranha e só,

Sem saber exatamente aonde ir.

 

Alguém solitário na densa névoa

Lentamente caminhava a sussurrar,

Palavras que não conseguia ouvir,

Mas em meu ser podia imaginar.

Era uma jovem andarilha errante

Que buscava sozinha uma saída

E no seu vai e vem constante

Em um labirinto estava perdida.

 

Eram tantas entradas e saídas

Que tornava sua vida extenuante,

Era um interminável circular.

Sombras e caos era sua vida.

Estava cansada, triste e ferida,

Mas não desistia nunca de lutar,

Na inútil tentativa de escapar

Daquela prisão alucinante.

 

Sim, reconheci aquela estranha,

Reconheci sua voz suave no ar,

Reconheci seu jeito de caminhar.

Era uma parte da minha essência,

Que jazia em um labirinto esquecida

E não sabia ainda como retornar.

Fiz um esforço e emergi a luz do luar

E hoje canto um hino à vida.

 

Comentários6

  • Jucklin Celestino Filho

    Que lindo! Versos de sabedoria, na conversação com a consciência.
    Parabéns, amiga.
    Boa tarde.

    • LEIDE FREITAS

      Obrigada por opinar sobre meu poeminha. Fico realmente feliz por sua opinião. Boa noite!

    • Shmuel

      Um poema forte que dialoga, com o tempo, e no que nele ficou retido.
      Que bom que deu a volta por cima, cara poeta, Leide Freitas!

      • LEIDE FREITAS

        Obrigada por teu olhar. Fico realmente feliz. Boa noite!

      • Anny

        Muito profunda essa poesia! Uma volta por cima da melhor maneira possível. Parabéns! Um bom descanso, com muita inspiração!

        • LEIDE FREITAS

          Obrigada por teu olhar sensível. Boa noite!

        • Hébron

          Muito bonito, Leide!
          Parabéns, poetisa!
          Abraço

          • LEIDE FREITAS

            És muito gentil. Deus poemas são ótimos. Bom dia!?

          • Nelson de Medeiros

            Bom dia, Leide.
            Uma historia muito interessante versada num casto português.
            Versos cadenciados em strofes montadas com estilo e sabedoria.
            abração pra ti.

            • LEIDE FREITAS

              Obrigada! Vindo de um mestre dos sonetos é um elogio e tanto. Desejo um excelente dia.

            • Edla Marinho

              Dar a volta por cima, andar errante e se encontrar...
              Olhar pra tudo e ver que aprendeu e levantou melhor...
              Muito bom, Leide!
              Meu abraço.

              • LEIDE FREITAS

                Obrigada cara poeta. Desejo uma excelente noite.



              Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.