Cecilia

PRESENÇA

Presença

 

Nascemos, e logo alguém marca presença em nossa vida.

Leite, voz, sorriso, mãos e passos,

acostumamos-nos  a senti-la perto.

O tempo passa, nosso universo se  alarga, se povoa,

mas  mãe é o nome mais chamado, a presença mais constante.

Maduros, temos  ainda nela raízes fundamente plantadas.

 

Sem deixar de ser nós mesmos, somos muito do que ela foi.

Sabemos dar na sua medida, lutar , amar à sua maneira.

Olhamos a vida, um pouco, com seus olhos,

 caminhamos muitos passos no seu ritmo.

Muitas e muitas vezes repetimos suas palavras, seus gestos.

 

Que presença temos sido,  mães, nesses tantos anos , nos quais

os filhos nos olham, nos copiam, absorvem-nos as  ideias,

e assimilam nosso comportamento?

 

Conseguimos ser a presença que, entre feras e vermes,

 mostre as feições do homem?

Que, entre confusos e perdidos,

Mostre o caminho do homem?

 

Comentários9

  • Elfrans Silva

    Mãe é realmente presença constante.
    Eu que o diga!
    Ela partiu dia 24/04 e sinto bem viva sua presença pela casa.
    - bj professora. Lindo poema. Boa tarde.

    • Cecilia

      Obrigada, Elfrans. Perdi minha mãe há cinquenta anos, mas sinto até hoje sua preciosa influência. Abraaço..

    • Paulo Roberto Varuzza

      "absorvem-nos as ideias", genial, parabéns.

    • Cecilia

      Obrigada, Paulo. Foi mãe, porque é maio. Fosse agosto, seria pai, e a cobrança parecida. Abraço

    • Ema Machado

      Mãe é a árvore, somos os galhos, é difícil brotar e frutificar sem ela... Belo!

      • Cecilia

        Obrigada, Ema. Abraço

      • Hébron

        Cecilia, a presença mais importante, que representa o significado de cuidado: mãe!
        Belo poema
        Abraço

      • Maria dorta

        Desde que consentiu em nos guardar em seu ventre,somos uma réplica dela e sem ela não existiriamos! Passou- nos o bastião, replicou seu genes e ela está presente em nós e assim caminha a humanidade!

        • Cecilia

          Obrigada, Maria. Grande abraço

        • Chico Lino

          Ser mãe que sina
          A vida cobra
          E não ensina

          Conhecimento forjado
          No que deu certo
          E no errado

          Mais um rebento se empina
          Entre risos e choros
          Ensinar o que não se ensina


          Feliz dias das Mães, (atrasado)
          E Feliz Aniversário, Poeta...
          Beijão...


          • Cecilia

            Obrigada, Chico Lino. Pelos cumprimentos e pelos versos. Veja, cheguei onde nunca imaginei: 84 anos!!! Abraço

            • Chico Lino

              Lindelúcida…

            • Edla Marinho

              Mãe é mesmo a presença que nunca se ausenta, não é poetisa?
              Lindos os versos, delicados...
              Vim atrasada, ando sempre com o tempo escasso, mas ainda em tempo, aproveito para dar-lhe os parabéns pelo aniversário!
              Meus sinceros votos de um dia festivo que se prolongue por todos os vindouros!
              Meu abraço!

            • Cecilia

              Obrigada, Edla. 84, e a vida ainda está bem gostosa. Grande abraço.



            Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.