Egard Yosefh

É óbvio...

É óbvio...

…. que ficou bem mais feliz quando você vem

… que meu coração dispara só em imaginar sua trajetória

… que não me contenho em risos enquanto te espero

… que meus sentidos vacilam. Que minha voz embarga. Que meus olhos lacrimejam

 

é óbvio…

… que não sei se estou bem ou louco

… se estou sendo intenso ou me doando pouco

… se me recomponho e disfarço

… se me deixo as amostra os meus traços

 

sinto-me inocente

incoerente

envergonhado

demasiadamente apaixonado

 

é óbvio…

…. que o tempo não passa

… que o infinito perde a graça

… e que eterno é te esperar

 

é óbvio…

… que enquanto você não chega

… cria-se um mundo

… vive-se eras

… sua demora minha espera

é óbvio

…que quando você chega, nada do que eu disse faz sentido.



Comentários2

  • Maria dorta

    É óbvio que o amor nos tira do prumo,fica um lusco- fusco interior mas,nada iguala a embriaguez de amando,criar beleza como esse teu poema.

    • Egard Yosefh

      Obrigado Maria. Muito me alegra sem comentário

    • Claudia Casagrande

      Parabéns!
      É óbvio que gostei demais.
      abraço



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.