Maria dorta

Vapor

Você,essa fumaça  de sonho foi

Inutilmente tentei rete-'lo,sim.

Fui deixando pra depois. 

Difícil reter o que era vapor.

Ah! Volátil sentimento! Estupor!

Eternizei diáfana  ilusão

Uma alegoria, uma paixão.

E você se perpertuou na dor.

Porque nunca me pertenceu.

Foi sonho sonhado,não aconteceu.

Se tivesse sido meu,hoje seria

um pesadelo,eu exorceria.

E com você nunca mais sonharia.

 

Maria Dorta    23.11.2020

 

Comentários7

  • Ana Fonseca

    Que belo poema!

  • Hébron

    Maria dorta, belo ensaio!
    Abraço

    • Maria dorta

      Você enche minha bola,Hebron. Grata pela apreciação.

    • Shmuel

      ..."Ah! Volátil sentimento! Estupor!
      Eternizei diáfana ilusão"...
      Puxa, fico perplexo diante de tanta inspiração.
      Abraços a poeta, Maria Dorta.

    • Helio Valim

      Olá Maria Dorta. Belo ensaio poético. Com uma estrutura bem elaborada de versos rimados. Muitas vezes construímos sentimentos que não passam de ilusões. "Eternizei diáfana ilusão
      Uma alegoria, uma paixão". Um abraço.

      • Maria dorta

        Grata pela leitura e generosa apreciação. Abc

      • Priscila Ribeiro

        Profundo!! Vapor que se eterniza que não pode ser retido. Parabéns

      • Valdeci Malheiros de castro

        Belíssimo...simples assim... Amei. Boa noite.

      • Ernane Bernardo

        Belo ensaio poético e que venha mais, parabéns poetisa Maria Dorta. Bom dia!



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.