Edla Marinho

AMORES IMPOSSÍVEIS



 

Chegaste...
Quando já estava esquecido
O tempo de amar
O doce sabor de querer
Vontade de beijar...
Ou de chamar: querido!

Chegaste...
Retirando folhas amarelas
De outonos passados
Momentos de calor
Carinhos amordaçados
Cores de minha aquarela

Chegaste...
Desarrumando os sentidos
Revirando minha vontade
Desnudando os conceitos
Despudorando as verdades
Sem que eu tivesse percebido

Chegaste...
Eu nem sei se noite ou dia
Nem quanto tempo faz
Como dias fossem minutos
Tirou-me a calma, a paz
E aos poucos me envolvias

Chegaste...
Terás, porém, de ir embora
Não podes, tampouco eu posso
São caminhos tão distantes
Não os podemos chamar de nossos
Não há futuro, apenas o agora

 

Edla Marinho 02/05/2017

Comentários5

  • Meno Maia Jr.

    A musicalidade, aliada à mensagem poética do vosso poema, nos faz sentir a catarse e nos transporta à esperança e o desejo que o amor tudo pode superar. Parabéns! nobre Poetisa.

    • Edla Marinho

      Obrigada, poeta, pela leitura e comentário.
      Em atraso, grata!

    • Valdeci Malheiros de castro

      Lindos versos, cara poetisa. Os amores impossíveis sempre a bailar em rimas que emocionam

      • Edla Marinho

        Boa noite. Obrigada por apreciar. É verdade, é um bom tema. Melhor seria se a gente pudesse versar apenas como expectadores da história de outros, rs.
        Abraço.

      • EAVIEIRA

        Linda poesia, parabéns! continue escrevendo para nos presentear com essa linda arte!

        • Edla Marinho

          Obrigada, poeta! O presente eu quem recebo através de comentários incentivadores.
          Abraço.

        • Eras

          Muito bonita a poesia, os caminhos seguem próximos, mas separados pelas próprias limitações pessoais, cabe ao amor remover as barreiras. Abraço

          • Edla Marinho

            Obrigada, o incentivo vindo de seus comentários, é que move a inspiração.
            Meu abraço.

          • Mari Machado

            O amor e o desencontro em versos magnificamente escritos. Parabéns, lindo!

            • Edla Marinho

              Boa noite, Mari, muito obrigada!
              Bom receber sua apreciação. Estive ausente, mas resgatei uns minutos pra vir, ao menos ler os comentários.
              Meu abraço.



            Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.