Ludimila Ingride

DE REPENTE



O mundo de repente mudou

De repente tudo parou

Coisas deixaram de ser!

Tudo tivemos que nos ater.

 

De repente não se ver crianças a brincar 

Algo que veio para nos ensinar

Que o lar é o melhor lugar 

Que na vida se deve pensar.

 

De repente rotinas diferentes

Contudo a vida se segue em frente,

Quem sabe amanhã se revele calmamente .

 

Quem sabe de repente não demore a acabar

Virá a alegria um dia afinal!

E tudo voltarás em glórias ao normal. 

 

Comentários6

  • JAIR SAYD FERREIRA

    Bonita reflexão, Ludmila!

  • Nelson de Medeiros

    Boa noite poeta. Os tempos hoje vivios dão margem a esdtas inspirações. Muito bem colocadas em teu belo soneto.

    1 ab

  • Pedro Trajano de Araujo

    Boa noite poeta. Bela reflexão no dias atuais

  • Edla Marinho

    Tomara, poetisa, tomara!!
    Enquanto isso vamos lendo e fazendo poesias.
    Meu abraço

  • Nogueira_greg

    Ora não voltemos ao que era antes, impavidamente nos tornaremos o que nunca fomos. Um brinde ao ser humano adaptivo

  • Eras

    Boa reflexão, poeta.
    Que a normalidade volte logo, ainda que não seja igual.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.