O aprendiz

Kitesurf


Aviso de ausência de O aprendiz
NO

O sol brilhava em Manguinhos 

Naquela manhã de Natal

E  um jovem com um paraquedas

 Fazia algo sensacional

Cortava ,voava e saltava

As ondas da azul do mar

E mostrava tamanha destreza

 Manejando o equipamento

 Que nem só por um momento

 Deixava o vento escapar

 Singrava as ondas do mar

 Como se fosse um golfinho

 Mas nadar não é coisa de peixe ?

 E voar o de passarinho ?

 E ele quebrava essa regra com

Com tamanha maestria

Que meus olhos na verdade

Não acreditavam no que eu via

Do rapaz o nome não sei

Mas em vista do que narrei

Se por nome ou apelido

Eu tivesse que o nomear

De Seajumper,  eu chamaria

Ao que saltava no mar.

Comentários5

  • Nelson de Medeiros

    Bom dia poeta. Muito bom. Escorreito texto fluindo ao sabor da leitura.

    1 ab

  • O aprendiz

    Muito obrigado pelo comentário,Nelson.

  • Samuel Brito

    Parabens, pelo poema, sempre atento e sensível.
    Forte abraço,

  • CORASSIS

    Parabéns amigo!
    Abraço

  • Rosangela Rodrigues de Oliveira

    Muito aventura poeta. Gostei...



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.