Vlad Paganini

PAIOL DE PÓLVORA


Aviso de ausência de Vlad Paganini
NO


PAIOL DE PÓLVORA

 

Noite, pensamentos incessantes em minha mente

São como bestas incansáveis

Corro para o fogo do universo

E me faz acender em minha cama fria

Transformando a minha dúvida em fé

 

Dúvida aberta, quebrada, jogo e fogo cruzado

Trazem você no teto do meu quarto solitário

Pairando sobre minha cama

 

Desejo agora se transforma

Meu peito inflama, aclama, tiro o pé da lama

Teu corpo no meu cede, desinflama, cardiograma

 

Noite, guerra não está perdida

Não posso cortar esses fios

Faíscas se transformam em um incêndio

Teu fogo na minha ilha

Minha água nos teus braços do silêncio

 

Cicatrizes abertas

Sentimentos a um fio de um paiol de pólvora

Raios irão se transformar num clarão

Fogo pairando sobre a água

Água saciando a sede do teu fogo

 

Teu peito inflama, aclama, conclama

Fechando a cortina desse drama

Todo o amor que por mim guardava

Agora por mim proclama

 

Vlad Paganini

Comentários1

  • Nelson de Medeiros

    Bom dia poeta. Sempre muito bem inspirado.

    1 ab

    • Vlad Paganini

      boa noite poeta, suas poesias me encantam muito tb. um forte abraço



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.