Maria dorta

Silencio

Pior do que uma voz que cala

É  um silêncio falante.

Teu silêncio me diz verdades dolorosas,

Incruentasp.

Daqulas  que ferem fundo,sem sangrar

E a gente recusa acreditar.

Estanca o sangue,melhor se enganar.

E Esse telefone mudo

Essa tela de celular sem o brilho de tuas mensagens

escritas com teu gênio peculiar.

E aquele grilo falante soprando no ouvido:- acabou o que nunca foi permitido nem iniciado.

Teu silêncio revela mesmo a ante- sala do fim.

Contudo,não se amofine- me auto- motivo.

Nem consinta que um amor frustrado

lhe ponha fel naquele mel tão degustado.

Lembre da luz que no teu olhar ele acendia e como teu coração batia com sua presença amada.

Você já reaprender tanto ao sofrer por amor.

Mais uma cilada!

Faça agora o teu amor,tua cura.

Erga-,te e vai derramando amor em todo coração sofredor.

Já pensou  quanto amor você também recusou,? 

M. Vitória Dorta 14.04.2020

 

  • Autor: Maria dorta (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 12 de Julho de 2020 15:10
  • Comentário do autor sobre o poema: Desabafo
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações: 26

Comentários6

  • Meno Maia Jr.

    Gostos das tuas metáforas. Deixaram o poema rico. Desabafo em poesia de linguagem encantadora. Parabéns Poetisa!

    • Maria dorta

      Grata pelo comentário e pelo epíteto " poetisa" não sou( ainda) mas estou tentando a senda seguir. Apenas aprendiz sou!

    • Hébron

      Escute o silêncio, ele tem muito a dizer!
      Mas a mensagem pode ser de frustração...
      Belo poema, Maria Dorta
      Abraço

    • lucita

      Como bem emau se complementam, silêncio dá completude ao falar...
      Boa tarde.
      Bom sábado, amiga!

    • Ema Machado

      Os silêncios dizem o que algumas palavras não ousam... Belo poema, Maria!

    • Ernane Bernardo

      O silencio que fala, instigante, nem sempre é de bom agrado, para onde foi direcionado. recorte:

      "...Teu silêncio revela mesmo a ante- sala do fim.

      Contudo,não se amofine- me auto- motivo.

      Nem consinta que um amor frustrado

      lhe ponha fel naquele mel tão degustado..."

      Bom dia Maria Dorta, ótimo domingo pra ti, abraços.

      • Maria dorta

        Grata pela gentileza e atenção.

      • Antonio Olivio

        Um amor como resposta ao silêncio torturante feito de assombros.
        E o amor como cura , para os que dele se perderam,
        O amor como unguento aos que ainda jaz na escuridão da ignorância e do abandono!

        Gostei muito Dortinha!!!

        • Maria dorta

          Tuas observações acuradas revelam tua imensa sensibilidade e uma inteligência atilada. Acabo ficando mal acostumada com tuas palmas!



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.