Maximiliano Skol

ANGÚSTIA

Meu Deus, como essa  angústia é tortura!!
Tanta tristeza em mim se acumula...
Que  mal será que tenho dentro dalma...
Que mal será que eu  fiz e não me acalma.

Parece que há em mim um mal sem cura,
Um tão secreto mal que se afigura
Qual dívida a pagar, ou certo trauma
Que recôndito expulsa a minha calma.

E tanta angústia assim não é comum.
Sem motivo aparente traz sinal
Que devo precaver-me por algum

Vil dano permanente... e o com o aval
De levar-me, em tendência deprimida,
À vez d' uma existência autocida.

Tangará da Serra, 12/10/2023         

Clicar no link abaixo, depois clicar em ABRIR para o site Poemas de Maximiliano Skol.

https://meuladopoetico.com/todos-os-poemasproprios-2912-1      

  • Autor: Maximiliano Skol (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 9 de Dezembro de 2023 12:32
  • Comentário do autor sobre o poema: Digitar no Google: 1. skol meu lado poetico– 2. estante virtual de Maximiliano Skol –você verá mais poemas de Maximiliano Skol.
  • Categoria: Triste
  • Visualizações: 11

Comentários2

  • Maria dorta

    É verdade,poeta. As vezes algo que não explicamos aparece e empana nosso próprio brilho. Desce uma melancia. Um estado d alma doentia. Mas, não deixe que isso empane teu brilho!

    • Maximiliano Skol

      Queridíssima Dorta, a esperança que temos é que a nuvem tende a passar e o firmamento torne a brilhar.
      Alegre e abençoado domingo.
      Beijo.

    • Claudio Reis

      Qual mal, qual mal?

      Não há mal algum em ser poeta, são apenas as emoções que afloram mais aos sensíveis.

      Abraços Mestre

      • Maximiliano Skol

        Meu prezado Cláudio Reis, gratidão pela sua agradável visita. "Nem todo mal é mal"– isso ainda mais vale para a sensibilidade de poetas, como você.
        Que tenhas um domingo a contento.
        Forte abraço.



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.