Reminiscências

Maria dorta

Era tão mágico e belo

Meu sentir por ti,hoje revelo,

Ainda com certo embaraço.

Teus braços...meu porto seguro.

Auto_suficiencia e timidez

Não deixaram meu amor revelar_te

Ou era a vaidade a cegar_me?

Eras meu ansioso passaporte ao amor.

Por que eu colocava o oceano entre nós?

O Oceano não tem pontes nem atingível margem posta.

E ele nos afastava e impedia minha volta.

Tanto orgulho idiota a bater na porta!

Tanto fogo nosso amor acendeu

que nos queimou e nos vimos pela metade

naquele dia do adeus.

Afinal,você sempre sempre teve a chave

Para,de meu coração, abrir as comportas e retirar entraves.

Infelizmente,por orgulho,nunca a usou.

Por orgulho ou cegueira desistimos de sonhar e navegar no amor!

Maria Dorta  24_07_2023

  • Autor: Maria dorta (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 25 de julho de 2023 02:12
  • Comentário do autor sobre o poema: Mais um ensaio poético na noite insone.
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações: 15
  • Usuário favorito deste poema: Lia Graccho Dutra.

Comentários5

  • Antonio Luiz

    Cara poeta Maria Dorta,

    Que bom quando somos capazes de converter noites insones em textos tão poéticos, não é mesmo?
    Parabéns!

    Um abraço.

    • Maria dorta

      Bom mesmo é ter o olhar atento de um expert poético como você. Abraço!

    • Menino e a Lua

      A minha amiga, se tal portador da chave pulasse no oceano,, talvez nadaria, ou talvez se afogaria, mas tentar sempre é a opção mais clara quando se tem a chave daquilo que se quer abrir.

      Muto bonito, as palavras que escolhe e como as coloca... sou aprendiz!

      Obrigado!

    • Maria dorta

      Você me comove com sua interpretação e fico bobamente feliz em ler suas palavras encorajadoras em meu simples ensaio poético!

    • Lia Graccho Dutra

      Boa tarde,
      poeta Maria Dorta:

      O seu poema retrata
      muito bem a questão
      do orgulho e, também,
      do medo que nos travam,
      limitam e nos impedem
      de viver as histórias
      de amor.
      Nós, seres humanos
      fazemos tantas
      dobras e temos
      tantos melindres.
      Queremos estar
      no controle das
      emoções e ,
      na verdade ,
      não
      temos
      controle
      de nada.
      Em se tratando
      de sentimentos,
      deveríamos
      ser mais
      abertos
      e simples
      como
      as crianças.
      Mas somos
      seres complexos…
      Aplauso,
      poeta amiga!

      Carinhoso abraço!
      Lia

    • Maria dorta

      Sabias palavras. Você além de inteligente,bela,sensível tem o dom da palavra e sabe mergulhar no imponderável aldila da alma da gente. Meus aplausos e agradecimentos!



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.