Vinicius Paiva

Reflexão de uma canção de Chico Buarque em linguagem moderna

Você me acordou bem cedo
Me fez ouvir samba
Quase me enlouqueceu
Depois me ensinou o que é importante
Depois me deu um abraço e se abriu
Contou de todos os amores
Todos os passados
Todos os sabores
Olhou nos meus olhos e disse "meu bem
Vá mas volte logo
As ruas estão perigosas
Os transeuntes tornaram-se assaltantes"
Não entendi nada mas o fiz mesmo assim
Conheci novos amigos
Era carnaval
Pássaros voando no céu
Crianças brincando no chão
Homens me olhavam
Muita polícia
Cinemas sendo destruídos
Malandros e guris sendo gentis
Olho pro mundo afora e penso no meu amor
Pessoas vivendo, morrendo
Meu Deus, ajude minha gente
Gente humilde que vive nas fantasias
Amanhã é feijoada
O futebol está animado
O samba tocando no rádio

Quero voltar para casa e rememorar
Os momentos perdidos com você
Quero ir para casa e abraçar
O meu filho, um menino
Magrinho, coitadinho
Eu o chamo de "meu guri"

  • Autor: Paivão (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 20 de Julho de 2022 15:09
  • Comentário do autor sobre o poema: Um devaneio, antigo, sobre os delírios musicais de Chico Buarque.
  • Categoria: Reflexão
  • Visualizações:


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.