Pedro de Alma

Fuga nº1


Aviso de ausência de Pedro de Alma
NO

                                            Fuga

Pode ser fatal, mas daqui irei sair;

Se t'acobardares, meu bem tchau-tchau!

Vou ao mar, (ainda não) com pesos;

Vou ao mar com a minha nau.

 

Dizia ela "mais fácil falar do que fazer";

Sabendo isso, fala de novo do futuro;

As tuas previsões perturbam o meu ser;

Prefiro caluniar a ser fogo de monturo;

 

Muros cinzentos, armas pontiagudas intimidam

Mas pela liberdade de pelo menos um dia

Lhes fujo, com pernas e (já não só) versos que rimam

 

Fujo pelo fim de desdém e dandão

Meu bem, Se não foges comigo

Fujo daqui com minha amiga, solidão

 

Comentários2

  • CORASSIS

    Muito bom esta fuga , grande inspiração !
    estarei aguardando os próximos.
    Parabéns poeta , abraço .

    • Pedro de Alma

      Obrigado!
      Irei fazer mais 2 fugas, a próxima será amanhã á volta da mesma hora de publicação da de hoje,
      Abraço!

      • Pedro de Alma

        A segunda fuga já está feita, (espero eu) com mais qualidade

      • DAN GUSTAVO

        Muito bom...! O mar... navegar como se faz também na rede mundial, é preciso! Essa é a poesia a fuga, e veneno mais eficaz para a monotonia! Um bom dia e sucesso, Pedro!



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.