Thiago R

Nas Árias Do Luar

Com teu silêncio adeja esses ares,

Luar de grandes olhos macerados,

A sombra que me segue sem cantares, 

Já viste entre os círios apagados. 

 

E buscando outros olhos magoados,

Foi seguindo na trilha dos luares,

O cântico dos tempos já passados 

Vibrando em nostálgicos pesares. 

 

À meia-noite nessas umbrosas,

Vibram sutis as cordas lacrimosas,

Imagens que se perdem num olhar...

 

Outro poente de luz a padecer,

Que levaste meu sonho a se perder,

Nas árias merencórias do luar.

 

Thiago Rodrigues 

 

 

Comentários3

  • José Altofe Queirolo

    Lindo soneto. Parabéns poeta. Abs.

    • Thiago R

      Obrigado. Um abraço.

    • Claudia Casagrande

      Que lindo!
      A lua, o silêncio, o sonho.... pura poesia.
      minha admiração

    • Thiago R

      Obrigado pelas sinceras palavras. Boa tarde.



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.