Jucklin Celestino Filho

O POVO, MAIOR JUIZ (10/10/2021)

 

O povo é juiz imparcial. Com sabedoria

Avalia quem para todos governou.

Quem ótimo legado no seu governo deixou.

0 pobre com ele podia contar, seguro se sentia.

 

Via que ele a todos tratava com distinção ,

Punha nas suas decisões o coração,

Respeitando cor, crenças, opções sexuais,

Raças , etnias, tinha a todos por iguais!

 

O povo lembra do tempo em que não passava

Fome nem necessidades:tempo que grassava

A esperança , que no peito ainda pulala:

Em 2022, o povo sabe quem é melhor pra o Brasil!

 

 
 

Comentários4

  • Nelson de Medeiros

    Hummm! Será meu amigo?
    Sei não...
    rsrsrs

    1 ab

  • Jessé Ojuara

    Caro amigo, apesar também torcer pela volta de Lula, tenho minhas dúvidas sobre a legitimidade do voto popular. Digo isso porquê existe tanta manipulação do marketing, poder econômico e agora mídias sociais que vemos coronéis e os mesmos malditos se perpetuarem no poder. Vide os clãs do Brasil: Sarney, ACM, Calheiros e tantos outros corruptos que apesar de todo mal feito são sistematicamente mantidos pela ignorância. Até em países mais desenvolvidos, vemos canalhas conservadores e falsos liberais se elegerem. Em todo o mundo os poderosos se revezam sob o manto de uma pseudo democracia.

    Em séculos, só ocorreu mudanças significativas através processos revolucionários: China, Cuba, Rússia ou quando os donos do mundo deram seu aval: Coreia do Sul, Alemanha, Japão.

    Uma vergonha.

    É o que penso.s.m.j.

  • Jucklin Celestino Filho

    Neste poema, cometi um erro: não devia colocar o nome do personagem em evidência . O eleitor sabe, e bem decidirá em 2022, quem é melhor para o Brasil, afinal, ele, o eleitor, é o juiz imparcial , o magistrado que fará justiça no pleito eleitoral do ano que vem.
    Que vença o melhor!

  • Maria dorta

    Na política o mais certo,na minha modesta opinião, é a mudança. A alternância de poderes. Isso evitaria a instalação as eternum dos mesmos no poder. Mudar a fralda da criança ainda é um ato necessário e higiênico até. Por isso sou pela alternância do poder. Mas,Deus nos livre desse capitão capeta outra vez. Eu mudo de pais!



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.