Arlindo Nogueira

PROFESSOR

Esse vulto estranho que me persegue

Vocação de amor no recinto escolar

 E o passo firme e lento me carregue

Evoque-me ofício do dom de ensinar

 

Os olhos fitos no azul do horizonte

Perpassam espaços bem diferentes

Espero chegar na escola do monte

Curtir a docência junto ao discente

 

Ao se pôr o Sol em raios coloridos

Urge escuro ensombrecer da alma

No quadro de giz riscos divididos

Onde o professor inicia a sua aula

 

Em sala de aula o professor segue      

Ensinado os alunos para o sucesso       

Apreender aquilo que se persegue

A translinear a linha do progresso

 

No livro da escola no quadro de giz

Que o professor o ensino carregue

Expresse sempre o semblante feliz

Esse vulto estranho que me persegue

 

Comentários2

  • Anny

    Muito bom, siga com seu objetivo. Parabéns! Um belo dia para você!

    • Arlindo Nogueira

      Obrigado Anny! Pra você também tudo de bom.

    • Elfrans Silva

      Com certeza amigo, escolheste uma das mais honradas "profissões". É preciso mais que o talento, é preciso, até mesmo, mais que a vocação para tal. É preciso isso que disseste: "Curtir a docência junto ao discente". Como diz um ditado: quem não vive pra servir, não serve pra viver.
      Belíssimo texto. Um abraço fraterno



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.