Nelson de Medeiros

URÂNIA  



URÂNIA*

 

Soluça a tarde... A noite se aproxima prenhe de esplendores!

A imensidão, de prata engalanada, reflete uma luz sem par...

Das estrelas, no etéreo manto, diz-me a Deusa dos Amores

De que voltaste do “Olimpo” na carruagem do luar!

 

Por que foges de mim? Onde estás que não escutas meu cantar?

Ah! Em que Arquitetura esconde teus fulgores?

Soluça a tarde... A noite se aproxima prenhe de esplendores!

A imensidão, de prata engalanada, reflete sua luz sem par...

 

Por que mi!Alma é tão inquieta, tão prenhe de ardores?

Por que teima o inconsciente, dentro do peito, a relembrar,

Qual “dèja vu”, os teus olhos multicores?

Por que não vens me amar? - Digas tu, Musa milenar!

Soluça a tarde... A noite se aproxima prenhe de esplendores!

 

Nelson de Medeiros

Comentários4

  • Edla Marinho

    Bom dia, poeta Nelson.
    Ah... Essa Urânia mexeu com o coração do poeta!
    Que bom, um viva a ela!
    Por ela temos o prazer da leitura de um belo poema.
    Tenha um lindo dia, abraço!

    • Nelson de Medeiros

      Bom dia poeta.
      Pois é, mexeu na época mas, como tudo na vida passou.
      1 ab

    • Rosa Desirré

      Boa tarde poeta
      "Soluça a tarde... A noite se aproxima prenhe de esplendores!"
      Lindo de imaginar...
      Parabéns

      • Nelson de Medeiros

        Boa noite, poeta
        Que prazer sempre que poetas com a tua inspiração comenta meus versos.
        ob.
        1 ab

      • Barbara Guimaraes

        Amo lê seus poemas! Bela inspiração!

        • Nelson de Medeiros

          Boa noite, poeta !
          Como vale a tua presença!
          1 ab

        • Cecilia

          Muito lindo, Nelson!

          • Nelson de Medeiros

            Boa noite poeta.
            Siinto falta de teus versos, viu?
            1 ab



          Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.