Elfrans Silva

O SILÊNCIO DO POETA

 


O SILÊNCIO DO POETA 

Verdade seja dita!
Tu falas esperando que se acredita?
Embora às vezes não te parece
O silêncio pode ser a melhor prece 

 

Se receias falar
E mostrar opinião particular 
Contra a mídia desencadear
Intensa e inevitável discussão...
Melhor será as mãos levantar
Ao céu orar pela paz com teu irmão 

 

Se temes publicar 
Mesmo que desconhecendo
Possivel mal, por fé antevendo
Que possa atingir à quem não devia...
Melhor excluir o escrito da lista
Tirar da revista a duvidosa poesia 

 

Se pesa o poetar
Claudicando na inspiração 
E desabafar contra uma ingratidão 
Que fere tua alma de forma direta...
Refute a ação que não traz benefício 
Não foi para isso que nasceu o poeta 

 

Se sofre ao ponderar
À respeito de se ter o livre arbítrio 
Guerreia o peito em ferrenho conflito 
Pelo direito do poder de expressão...
Uma vez mais se inspire em bom senso 
E faça do teu silêncio poder de oração 

                (Elfrans Silva)

 

Comentários3

  • wesley santos rabelo

    affe silêncio.....eu me pergunto, o q poderia silênciar o poeta???
    se é da dor e alegria vem teus versos...

    • Elfrans Silva

      Satisfação em recebê -lo aqui poeta Wesley Santos. Grato por sua presença e comentário amigo. Realmente nada, nem ninguém pode calar um alguém, até mesmo um poeta. Somente eles mesmos. Silêncio não é exatamente calar, mas sim pausar, uma vez que a arte, o talento e o dom de poetizar, requer a fala e expressões diversas. Sendo o poeta um ser normal e sujeito as mesmas leis morais de éticas comportamentais, deve o mesmo entrar pelo corredor da disciplina, desde os direitos autorais até os seus deveres. Entendo a dificuldade do silêncio, mas os direitos de outros devem ser respeitados.
      A sensibilidade poética deve nortear o artista sempre. Tudo tem seu tempo. Até o tempo de falar. O "Se" que abre minhas estrofes é, logicamente, condicional. Tanto poetas e não poetas, estão dotados de sensibilidade, capacidade, equilíbrio, e do polêmico livre arbítrio para se posicionar ante qualquer situação. Inclusive para adiar sua manifestação a respeito disso ou daquilo e principalmente se sua obra tem uma certa direção. Vou figurar aqui: como na bebida, (quem "cala" o bêbado?), convém que beba com moderação. rsrsrs
      Se à este é possível UM antes ou após a direção, à todos tbm, pois o tempo pode ser remido, e trabalhado. Entendo você quando exclama "Aff silêncio". Dói para o poeta. Que o digam nossos irmãos na Ditadura e de outros regimes autoritários que fugiram e fogem de seus países. Nesse período do "silêncio" ditador, muitos outros fizeram Silêncio e sobreviveram, não sendo estes, por isso, até hoje, mais ou menos poetas e artistas, e pessoas.
      Espero ter elucidado o meu ponto de vista quanto à esse Silêncio. Fiquei imensamente feliz por sua presença e pelo nosso, digamos, bate-papo. Abraços fraternos amigão. Boa semana. AFF, que texto enorme ficou minha explicação rsrsrs

      • wesley santos rabelo

        Eu gostei do termo usado... ( Silêncio não é exatamente calar, mas sim pausar) isso me faz pensar que até na morte há um último verso a ser lançado, sendo o própio ato final da respiração...

        sim vc foi perspicaz. quando no final notou e disse..(Doi para o poeta)
        já tive muitas dores devido ao silêncio, é estranho dizer isso mas parece ser (ensurdecedor) mas gostei de tudo q disse... me faz ver o "silêncio" com mais atenção e formas...! lkkk ficou enorme mesmo mas eu li tudo... fica na paz poeta..

      • Nelson de Medeiros

        Bom dia poeta
        Sempre muito bom.

        1 ab

        • Elfrans Silva

          Bom dia poeta Nelson de Medeiros.
          Que ótimo vc ter gostado dos meus versos e comentado. Retribuo seu abraço e te desejo uma semana abençoada. Gratidão por sua visita aqui.

        • Rosa Desirré

          Sempre é muito bom ler seus poemas
          Não os silencie para nós por favor rsrsrs.

          • Elfrans Silva

            Boa noite poeta amiga. Agradeço por ler e comentar, tbm visualizar meus poemas.
            Quanto a silenciar, nem sei oque dizer. Tem coisas que viram hábitos e começamos a sentir falta. Quando percebemos estamos rimando na mente e daí para o papel (midias) é só um passo rsrsrs. Então deixo as águas me levarem. Abraços poeta. Boa noite



          Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.