Maximiliano Skol

O MEU PENSAR


Aviso de ausência de Maximiliano Skol
NO

O meu pensar mantenho só comigo...

Eu li, profusamente, e com ganância,

Bebi todo o atinar do mundo antigo 

E absorvo o atual saber com muita instância,

 

Mas só no meu pensar encontro abrigo.

Claro que não desprezo a importância 

Do atual pensador, nem o desdigo

Para evitar de expor-me à vil jactância.

 

Tenho o feitio de ser-me coerente:

Não consigo seguir o que outra gente

Percebe, ou se comporta em adesão.

 

Cogito que de início no embrião 

Fui engendrado a ter certa focagem 

Ao inato pensar e com vantagem.

Comentários2

  • Cecilia

    Maximiliano, gostei muito desse soneto, no qual você tão bem define um aspecto de sua personalidade. Não é auto-elogio, outros diriam que é defeito ser assim antiquado, teimoso, irredutível...Beijo.

  • Maximiliano Skol

    Querida Cecília, fiquei surpreso pelo seu juízo crítico sobre o contexto do poema.
    Deveras, muita arguta nas suas percepções. Ali, há conceitos dúbios e, para evitar interpretação de cunho egoístico, deixei uma nota de alerta sobre o soneto.
    Agradeço seu comentário.
    Um beijo.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.