Ema Machado

Descanso...



Descanso...

 

O queria, mas, não assim

Lúdrico, em cor de lápide

Com gosto de vazio, que se adona

Invade...

Nunca fui terreno infértil

Trilhei desertos, o rumo era incerto

Encontrei um oásis

E você vem, se instaura

Tentando devolver a obscuridade

Não ouço, seu lamento

O sorriso, ainda não morreu

Vive latente, aqui dentro

A primavera aguarda, enfeita-se

Há eflúvios nos ares, paz a espreita

Passará a tormenta, a flor nascerá

Verdeje, esperança!

Pássaros a anunciam 

O silêncio, tornar-se-a descanso

Comentários3

  • Edla Marinho

    Lindo, querida Ema!
    Pra gente ler várias vezes, ouvindo o fundo musical, que nos dá descanso à alma
    Grata por partilhar seus versos!
    Boa noite de descanso, meu abraço!

    • Ema Machado

      Obrigada, querida amiga. Seu comentário incentiva a continuar, ainda que não haja muito tempo. Abraços,

    • Geralda Maria Pinheiro Figueiredo Pithon

      Simplesmente lindo de se lê!
      Parabéns, amiga Ema!
      Grande Abraço!

      • Ema Machado

        Gratidão! Abraços,

      • MariaLandim

        Oxalá
        Todas as belezas da primavera
        Se instaurem em todos os corações.
        Muito lindo Ema
        /... e que "verdeje a esperança"... sempre/
        Parabéns

        • Ema Machado

          Obrigada, querida! Ótimo, ter você aqui. Abraços,



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.