Nelson de Medeiros

DIÁLOGO COM O CORAÇÃO.

DIÁLOGO COM O CORAÇÃO.

 

Ah! Pobre coração vazio!
Porque bates assim veloz e frio?
Acaso não tens na lembrança
um amor puro e verdadeiro?
Será fado a consumir-te por inteiro
 sem sequer acalentar-te a esperança?

Frio coração que vaga pela terra!
Que angústia o teu bater encerra
nas lágrimas que tentas esconder?
Não vês que suspiros delirantes
povoam quimeras distantes,

buscando ao cume ascender?

Mas, será ela, que em seu sonho de criança,
vê a ave da esperança
em seus céus volitar?
Ou serei eu, que tais sonhos despedaça
qual negro abutre que esvoaça
 sobre a presa a espreitar?

Ah! Ela sim, alva estrela, astro fulgurante,
flor dos campos, inocência d!Um instante,
suspira e vê perto os sonhos seus!
Pois que eu vejo a noite borbulhar nas vagas,
e sinto a consciência arder em chagas,
por um momento a recordar de Deus!

Nelson de Medeiros

Guarapari (ES) janeiro de 2005

Comentários2

  • Maximiliano Skol

    Guarapari, caro Medeiros, parece que tem a magia de inspirar poetas.
    E a inspiração veio ao seu encontro para a verve do seu poema.
    Um forte abraço.

  • Barbara Guimaraes

    Belíssima inspiração e belíssimo diálogo com o coração! Encantada com seus versos, parabéns!



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.