Derrota

Carlos Hades

Vento, solar, o sol, o vento em meu lar.

Minha angústia a te esperar;
Pra lamentar! O sim; pra não aceitar o não.

Amar, compor...uma obsessão...

 

 

Fico calmo, fico tenso, entediado, marejado.

Não tanto por fora como por dentro.

Escrevo palavras que soam como lamento.

Vento!...sem folhas voando, apenas o tempo.

 

 

É lento, o pensamento, a escrita que experimento.

Dentro! de mim e de você apenas um sentimento.

Confio que saibas qual é... mesmo sem tempo.

 

Incrível é a distorção da gravidade, que altera...

O tempo! da espera, da matéria.
Que difere do abstrato sentimento.

  • Autor: Hades (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 30 de agosto de 2021 14:29
  • Comentário do autor sobre o poema: Sobre "aquele" que não podemos vencer!
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações: 13
  • Usuário favorito deste poema: Triste.

Comentários2

  • Nelson de Medeiros

    Boa tarde poeta.

    Uma ode ao sentimento abstrto que é imenso e quase não percebemos.

    1 ab

    • Carlos Hades

      Obrigado Nelson, sua visão é muito valiosa pra mim. Abraço

    • MariaLandim

      Sim.
      "Aquele" que não podemos ver
      Mas...
      Que está ali
      Dia após dia
      Latente
      Nos dizendo
      No silêncio
      Ora um salto para o alto
      Ora
      A nós, regressando
      Veja?
      Olhe?
      Sinta!
      Sou "aquele"
      Que em você é o "você"!?!

      Jovem poeta jovem

      Uma obra de arte sua pintura abstrata.
      Belíssima

      • Carlos Hades

        Muito agradecido e tocado pelo seu belo comentário!



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.