vic andrade

Consolo de Buarque

Meu Ânimo foi passear

Levou consigo meu apetite

Deixou uma garrafa

Um par de olheiras

E, de consolo,

uma dose de inspiração

 

Ora, senhor Ânimo, quanta gentileza

Apesar das noites mal dormidas

Da dor de estômago

Da cabeça latejante

 

Apesar da falta de brilho no olhar

Das pupilas dilatadas

Dos programas cancelados

E das amizades perdidas

 

Apesar do comprometimento hepático 

Dos pulmões escurecidos

E da tosse dolorida  

 

Apesar da sua ausência, senhor Ânimo

Apesar de você

Amanhã há de ser 

mais um dia

Comentários4

  • José Altofe Queirolo

    Excelente, poeta. Parabéns. Abs.

    • vic andrade

      Muito obrigada, rapaz. Abraços!

    • Shmuel

      Muito bonito, poeta Vic Andrade! A referência a música de Chico Buarque, foi de uma inteligente ímpar.
      Abraços a poeta, que prima pelo bom gosto cultural.

      • vic andrade

        Belíssimo comentário, obrigada mesmo! Abraços.

      • CORASSIS

        Poema inteligente , de poetisa impar!
        gostei!!! abraços,
        belo!

        • vic andrade

          Brigadão, querido! Abraços!

        • Isabela Rodrigues

          Incrível!!

          • vic andrade

            Ahh, um comentário desse vindo de uma poeta que estive lendo por aqui e apreciando tanto... que coisa boa. Brigadão, Isabela =)



          Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.