Maria dorta

Testamento



vivi

Amei e sofri

Se fui amada?

Não sei

Sobrevivi

O peito coberto está 

de medalhas cobrindo cicatrizes

Segui todos os ensinamentos

Aos mandamentos obedeci

Me doei 

Enfraqueci

 

Me acovardei

Me neguei

Desisti

Enrineci

Verguei

Mas não quebrei

Não tomei amor com desamor

Na juventude, contida.

Na maturidade, ousada.

Na velhice, comedida

Embora digam

Que fiquei mesmo

 foi enlouquecida. 

Maria Dorta   

  • Autor: Maria dorta (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 3 de Maio de 2020 23:37
  • Categoria: Reflexão
  • Visualizações: 57

Comentários5

  • Hébron

    A conclusão de liberdade, resultado das experiências da vida, costumam, os insensíveis ou desentendidos, chamarem de loucura...
    Abraço, poetisa

    • Maria dorta

      Gratidão pela leitura e observação arguta,,,!

    • Ema Machado

      A vida é isso, para ser vivida. O único testamento a ser deixado"Viveu intensamente! Um belo legado para aprendizado àqueles que não vivem... Grande abraço,

    • Shmuel

      Belo poema, cara Dorta!
      Abraços!

    • Ernane Bernardo

      Ao amor, toda entrega é valida, vergou mas não quebrou. Parabéns poetisa Maria Dorta. Boa tarde

    • Antonio Olivio

      Nenhuma juventude deveria ser contida, este é o momento da explosão de nós.
      Há tanta maldade que vamos vencendo e a semente do amor vamos jogando na cova do ressentimento...

      • Maria dorta

        Gratidao,gratidão. Tuas palavras me comovem!



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.