Maria dorta

Castelo no ar



Como apagar essa chama

Que " arde sem queimar"?

É uma glória mas me consome

Deixa alma e corpo exangue.

Contudo,um amor assim

Meu ser proclama e a ele diz SIM!

Não me perdi de mim,Isso é  claro.

Sei que de sonhos me embalo

Vou sempre esperar o intervalo

Não nutro de seu amor a certeza

Navego em mar bravio

Deixo- me levar pela correnteza.

 

Construiu Castelo de areia

Mas nele não faço moradia

Sei que, um dia, ele atraia.

 

Ama-lo não é  um desgosto

Degusto o doce sabor

De um dia ter meus lábios postos

Naqueles lábios amados, sem pudor!

           24.10.2019 Maria Dorta

 

  • Autor: Maria dorta (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 20 de Abril de 2020 16:37
  • Comentário do autor sobre o poema: Exercício de desabafo. Treino poético.
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações: 40

Comentários5

  • Hébron

    Um encantador exercício de desabafo.
    Um treino poético que nos inspira!
    Abraço, poetisa

  • Ema Machado

    Um amor e um poema... Belos versos! Abraço,

  • Shmuel

    Realmente um poema apaixonante, Maria Dorta.
    Abraços?

  • Ernane Bernardo

    Um treino poético, se tratando de amor, mais belo torna-o. Boa tarde

  • Antonio Olivio

    Estou aqui no seu primeiro dia , na sua primeira postagem , quero conhecer um pouco mais e acho que vou gostar de tudo.
    Depois quero escrever uma ode a srta Maria Dorta .....vais ver...

    • Maria dorta

      Antônio: uau! Essa me pegou de surpresa! Quase me caiu o queixo! Cheguei ontem a' noite em Recife,depois de um périplo de 40 dias entre Portugal e França. Estou hoje dia 1 voltando para casa, Maceió, trazendo bastante saudades principalmente de minha filha querida que habita em Lisboa. E aqui,recebi essa coroa de louros. Você muito me honra com tua gentileza. Aí! Meu coração é tão frágil,!



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.