Helio Valim

Metafórica onda

 

Sequenciada onda...

É onda atrás de onda,

não é onda de surfar,

não é onda de calar.

 

Sistêmica onda...

É onda pra se isolar,

não é onda solar,

não é onda pra nadar.

 

Indefinida onda...

Poucos se dão conta

de sua gravidade.

Preferem a leviandade.

 

Insana onda...

Aos alienados afronta,

com a fria realidade

e agride sem piedade.

 

Convicta onda...

Não acreditam no real,

nem no impacto social,

apenas naquele que zomba.

 

Crédula onda...

Creem em Ilusória ruptura.

Mas não há magia pronta.

Só a ciência cura.

Comentários3

  • Chico Lino

    Que onda, Valim, um poema de arromba'... Forte Abraço...

    • Helio Valim

      Oi Chico. Obrigado pelo comentário. Pena que não é uma "festa de arromba"! As pessoas desistiram de acreditar no vírus, acreditando, dessa forma, que não vai atingi-los. Um grande abraço.

    • Roberto Pacheco

      Parabéns, Helio!
      Mais um belo poema, uma profunda reflexão para o momento atual. Mas com certeza, como toda arte um poema atemporal...
      Forte abraço
      Roberto

      • Helio Valim

        Caro Roberto, obrigado! Sem dúvida o poema deve ser crítico da nossa realidade e atemporal para que possa ser lido, de forma crítica, em qualquer época. Um grande abraço.

      • Jose Fernando Pinto

        Belo texto Helio, sempre nas ondas da poesia! Abraços!

        • Helio Valim

          Obrigado José Fernando. Nas ondas da poesia crítica. Sempre! Um grande abraço.



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.