Roberto Pacheco

Sem palavras

Sem palavras, só memória.

Tivemos sonhos iguais, se é que ainda não temos.

Sonhamos ter uma vida digna, alegre e decente.

Mas tivemos formas diferentes de compreender o viver.

Sem palavras, só memória.

Tivemos sonhos iguais, se é que ainda não temos.

De ter filhos e criá-los à beira mar.

Mas tivemos formas diferentes de definir o que é amar.

 

 

Comentários3

  • Helio Valim

    Parabéns Roberto. Poema enigmático com mensagem sutil: "compreender o viver" e "definir o que é amar". Um abraço.

  • Roberto Pacheco

    Hélio, obrigado!
    Como poeta divido esse enigma: um poema autobiográfico sobre a dor de uma separação, atenuada em grande parte pela poesia...
    Forte abraço poeta!
    Roberto

  • Hébron

    'Sem palavras' diz muito, além dos versos, sobre amar... Gostei!
    Abraço, poeta

    • Roberto Pacheco

      Obrigado, poeta Hébron!
      Grato
      Roberto
      Forte abraço



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.