Harpyja

Chama

Estive ausente, sim...

talvez, ausente de mim.

Distante

de tudo o que me leva adiante.

Às vezes fico assim

Acendo meu próprio estopim

e espero me consumir

com gozo em chegar ao fim...

Balas de festim!

Pode ser que arder queimando

seja ruim,

no entanto, redescubro encanto 

enquanto percebo enfim

que EU sou combustível

controlando a reação em mim.

E prefiro queimar vivendo

que morrer frio e sozim.

Comentários7

  • Hébron

    Linda poesia!
    Versos bem desenhados e leitura muito agradável.
    Abraço, poetisa

    • Harpyja

      Obrigada Hébron! Às vezes eu fico assim, cheia de poesia e vazia das minhas inseguranças de mostrá-los. Abraços

      • Hébron

        Você tem talento.
        A exposição traz apreensão, mas é um desafio que também traz desenvolvimento. Neste espaço vc será sempre prestigiada.
        Abraço

      • lucita

        que bom que voltou, filhota!
        E com versos tão estilosos, em essência lírica...
        Amo você e sua inspiração...

        • Harpyja

          Obrigada mãe! Tenho me inspirado cada vez mais vendo a sua paixão em viver tudo o que faz.. Te amo muito!

        • Priscila Ribeiro

          Lindo demais! Que esse combustível gere chama de vida. Parabéns.

          • Harpyja

            Obrigada Priscila!! Que essa vida incendeie nossos espíritos em busca de evolução.. Namaste

          • Valdeci Malheiros de castro

            Que essa chama aqueça sempre seu coração, trazendo inspiração para continuar escrevendo lindas poesias.

            • Harpyja

              Assim seja em todos nós que consumimos e nos consumimos em poesia!! Obrigada pelo comentário

            • Shmuel

              Que lindo, mãe e filha interagindo poeticamente.
              Me lembrei do mestre Carlos Drumond de Andrade, em seu poema, Resíduos.
              ..."Fica um pouco do seu queixo.
              No queixo da sua filha"...
              Demais, abraços a poeta, Harpyja.

              • Harpyja

                Interessantíssimos esses versos, e coincidentemente minha mãe tem um pequeno sinal no queixo, uma covinha que eu herdei! Obrigada pelo comentário, forte abraço poeta.

              • Edla Marinho

                Tal mãe, tal filha!!
                Teve de quem herdar o talento de versejar, não é mesmo?
                Prazer ler uma filha poeta, filha de uma, já amiga, poeta.
                Bom domingo, boa semana.
                Meu carinhoso abraço.

                • Harpyja

                  Obrigada pelo comentário Edla.. a nossa Lucita é mais que uma referência, é sim uma amiga que me inspira e também me apoia. Uma pessoa que vive por Amor e pelo Amor.
                  Prazer em ler seu comentário tão carinhoso!! Que venha uma semana iluminada para todos nós.

                • lucita

                  Estou aqui também pra você...



                Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.