Petala_desconhecida

Crescer e já sozinha aprender

Quando cresci,

Meu mundo,

Em minhas mãos acendi,

Aprendi,

Que nem sempre,

Podes confiar,

Tal como nem sempre,

Podes amar.

 

Em minha cabeça pensativa,

Armazenava qualquer fantasia,

E imaginava-me nela sozinha,

Não tinha amigos,

Sofria bollying desde nova,

Mas de nova aprendi,

Que a vida não se vive sempre da mesma forma.

 

Os amigos vão e vem,

Mas só com a falta deles,

Notas que afinal não eras assim tão importante,

E o que importava era o restante.

 

Em meu coração,

Senti magoa e muita dor,

Nele apresentei meu clamor,

De algum dia encontrar amor,

E se não for,

Não consigo encarar isto com rigor,

Pois meu coração é o meu professor,

E não meu mentor.

 

Mágoas de infância doem,

Mas minha cabeca,

Ofereceu condolência,

Ao meu coração,

Que em sequência,

Morreu nalgum segundo de demência.

Comentários1



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.