Marçal de Oliveira Huoya

Epitáfio

Sei 

Vou morrer cedo

Mas isto não me preocupa 

Não sinto medo

O que ainda hoje assusta 

Se tudo não passa de um brinquedo?

Partirem, eu sei

Em eterno degredo

Para algum lugar que desconheço 

Absolvido ou não de minha culpa

Liberto ou não de meu segredo

Para um inferno eterno de desculpas 

Ou para um exílio 

Eterno de sossego...

 

Comentários3



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.