NeivaDirceu

Ausência I


Todas as manhãs vou me reconstruir
A vida é como espelho, um Cristal
Tento todos os dias me redimir, mas
Lanço-me numa ausência sem igual


Nessa ausência sem igual
Sinto-me atravessado por um comboio,
A alma chora, o coração aperta
Então, limpo as minhas lágrimas e continuo.
Como alguém que busca redenção,
Distancio-me do mundo e busco me restaurar,
Busco encontrar a resposta para minha dúvida,
Curar as minhas feridas
Encontrar a paz interior
Reconstruir os cristais quebrados
E deixar no caminho os que não podem ser reconstruídos.
Dessa maneira, continuo sendo quem sou,
Cheio de cicatrizes e esperanças.


Na ausência que me consome,
Há esperança
e no silencioso olhar,
tento buscar no sonho seu nome
Há uma ausência, não me lembro mais...
tudo parece apenas uma sombra
Coração inquieto, mas as cicatrizes afloram
Pois, assim vou pensando
Sonhando e levando
Neste meio caminho,
Meu coração
Minha esperança
Mas não estou longe...
Estou a cada momento mais próximo...
Mesmo que as lembranças me confundam
Nesta ausência,nesta margem,neste mundo...

Comentários1

  • NeivaDirceu

    Poema mesclado, um poema de 2... NeivaDirceu e o Peregrino Anônimo (Místico) ... GRATIDÃO AMIGO DO MEU LADO POÉTICO...

    • O Peregrino anônimo

      Obrigado, espero que eu possa ajudar. No próximo poema participarei mais, porque semana passada foi corrida.



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.