23 de outubro de 2003

Carlos Hades



Lembro que era domingo, era primavera, não estava quente e não havia frio, a não ser em sua mão.

Lembro que rimos, conversamos, caminhamos, começamos.

Lembro do seu perfume, lembro da sua roupa, do seu olhar tímido e de quando nos olhamos.

Lembro que tive certeza que não iria nunca mais soltar sua mão!  

 

Seu rosto tímido, seus olhos que evitavam o meu e seu cabelos como um lindo girassol.

Neste dia eu já sabia, que você e tudo que você me traria, seria meu farol.

Como eu não saberia? Que você seria meu calor e meu sol!  

 

Mas de tudo isso que me lembro. Lembro que este foi o dia, que em seus olhos os meus se encontraram.

Neste dia decidimos que nossas vidas estariam entrelaçadas.

Mesmo que o tempo tente nos desgastar, vou me lembrar dessas duas vidas se que abraçavam.

E que neste dia, sob essa lua, depois de muitos risos em espetáculo de circo, você e eu nos lembraremos, até que nossas peles estejam enrugadas!  

  • Autor: Hades (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 26 de agosto de 2020 11:30
  • Comentário do autor sobre o poema: Pra não dizer que nunca falei das flores!
  • Categoria: Amor
  • Visualizações: 17

Comentários6

  • Hébron

    Versos de um romantismo bem trabalhado que comovem...
    Muito bom!
    Abraço

  • Carlos Hades

    Obrigado meu amigo

  • JAIR SAYD FERREIRA

    Muito bom!

  • lucita

    Homenagens parrticulares me encantam.
    Parabéns!
    Boa tarde!

    • Carlos Hades

      Quem não tem uma musa, não tem inspiração!

    • Nelson de Medeiros

      Muito bom. Um olhar, apenas um olhar certo traça um destino.

      1 ab

      • Carlos Hades

        Sim, há olhares especiais !

      • Luiz Rossini

        Ótimo poema! Um abraço!

        • Carlos Hades

          Obrigado meu amigo!
          Abração



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.