santidarko

Com quais Monstros,Sonham os Monstros?



"Não existe poder ou prestígio,que o tempo não há de descolorir ou que a terra não há de oprimir"



As esperanças "afogadas",outrora,acomodadas no fundo de um coração ferido,elegerão seu líder proclamado;ao serem tocadas por falsos Futuros,ainda supostamente merecidos ou aguardados por si mesmo.


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 


Neblina de Espectros

 


Vieram,em carruagens sussurradas pelo medo;propagadas pelos ventos do Oeste
O manusear leve, de brados uivantes.
De marchas inaudíveis a inocentes.
O oracular da tingida iniquidade dos Homens;o reticente do anteparo.
O éolo,respingara sangue em Faces;mesmo ocultas em refúgios.

 

 




Medo
esqueça de minha Alma
para que eu possa transpor
o muro de Assombros.


O sangue febril
escalda meus pensamentos.
escurece meu olhar
enferruja os meus passos.


Medo
não entone cantigas de sussurros
de arrepios á pele.

Medo
a misericórdia das cicatrizes
por ousadas trilhas penumbrosas
aos estigmas do incerto
aclama
relevação.

Comentários2

  • Carlos Hades

    Fúria!!

  • Cecilia

    Santidarko, vou falar só do MEDO, do qual gostei muito. Sua escrita é forte, harmoniosa, um pouco hermética, como quem escreve para si mesmo, mas muito boa. Parabéns

    • santidarko

      A agradeço, de coração.. A senhora está correta em sua afirmação.OBRIGADO.
      Estou tentando melhorar todos os dias.



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.