O BURACO NA PAREDE

Daniel Lipski


Um buraco na parede, uma simples imperfeição
a não ser que ponhamos carvão na imaginação
Que novo mundo estranho está do outro lado?
Todo em preto e branco ou lindamente pintado?
Escuro e fétido como uma latrina mau limpar
Nauseante feito o regurgito de qualquer bebida barata
onde baratas saciam suas pobres necessidades de vidar
Bem no fim, um buraco bacana para se olhar
O que será que, do outro lado, eu vou enxergar???


No fundo deste buraco, existe um portal oculto,
Para um reino encantado, onde sonhos são absolutos.
As cores bailam, intensas e radiantes,
E as estrelas cochicham contos emocionantes.
Ali, as árvores possuem raízes de cristal,
E os rios serpenteiam com uma melodia divinal.
As montanhas murmuram segredos de eras passadas,
E os ventos trazem alegria e moradas.
Os seres que povoam este espaço,
Portam asas de borboleta e olhares que faíscam no compasso.
Dançam sob o luar, em celebrações eternas,
E entoam melodias que afagam a alma moderna.
Além deste buraco, minha realidade se esvai,
E essa imaginação fértil me transporta para além do que se diz.
Somente o eu poético poderá desvendar,
Para onde essa jornada irá nos levar...


Um buraco na parede?!
Que mistérios guardam o outro lado, fico a pensar enquanto me balanço nessa rede,
Sou curiosa, engenhosa, decido esse buraco enfim olhar,
Fico perplexa quando observo o que de fato do outro lado há!
O que será?
Ah, meu caro, num mau dia eu te diria para você mesmo bisbilhotar,
Mas sente-se aqui, eu irei lhe contar...
Do outro lado há mistérios, devaneios,
Medos profundos, anseios,
A vista se modifica, depende de quem for olhar,
Ilusão, será?
Só sei que de fato um buraco na parede há,
Mas o que do outro lado eu vejo, talvez você não verá
Ou não entenderá,
Pode ser bom, pode ser mau
Assustadoramente normal, talvez algo bem banal...
Depende do que sua imaginação despertar!


Um buraco na parede,
Um convite silencioso à aventura.
Olho para dentro,
E a curiosidade me invade,
Como um gato faminto a espreitar um rato.
O que se esconde atrás dessa fenda?
Um portal para terras distantes?
Um reino de sonhos adormecidos?
Ou apenas um amontoado de tijolos?
A imaginação dança,
Em um balé de possibilidades infinitas.
Respiro fundo,
E me atiro de cabeça no mistério.
O buraco me leva a um mundo mágico,
Onde o impossível se torna possível,
E a realidade se curva à vontade da fantasia.
Sezar Kosta


O outro lado me dá sede do desconhecido,
Para que fui olhar para esse buraco na parede maldito,
Antes tivesse ficado balançando na ignorância em minha rede,
Agora atônita fico à espreita do que me espera atrás destas paredes...
Será que é figurativo ou literal?
Esse buraco na parede de minha imaginação será inofensivo?
Seu eu mergulhar por dentro de suas teias, será que volto vivo?
Sobrevivo?
Talvez a ida seja definitiva e a tentativa de voltar seja fatal,
O que tem de tão precioso por detrás desse buraco que me enfrenta todo santo dia e se "acha" o tal?


Com relutancia, olhei pelo buraco
e encontrei o inesperado
Várias pessoas tambem olhando
e seus sonhos enxergando
Alívio senti de imediato
E o medo não passou de um hiáto
Assim, todos escreveram o que viram
e a vida infinita, com versos contada
Para, pela eternidade, ser contemplada.

  • Autores: Sanitário Masculino (Pseudónimo, Lunix.L, Bruh Poesias e Luz, Sezar Kosta
  • Visível: Todos os versos
  • Finalizado: 18 de julho de 2024 10:07
  • Limite: 6 estrofes
  • Convidados: Público (qualquer usuário pode participar)
  • Comentário do autor sobre o poema: O último que eu comecei foi chamado de \\\"LIXO SEM RECICLAGEM\\\" superando assim as minhas expectativas. Tentemos algo mais nauseante e putrefato para garantir pelo menos essa mesma reação. Porem, quanto mais potencializado o insulto, melhor a proposta!!! E, como de praxe, ARTE NÃO TEM AMARRAS!!! DIVIRTAM-SE!!!
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações: 24
Comentários +

Comentários1

  • Daniel Lipski

    Obrigado a todos que participaram. Além de uma poesia coletiva, fica tambem a sensação de bem estar por te-los visto do outro lado do buraco. Os espero nas próximas!!!



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.