Triste final

Maria dorta

Depois de tantos invernos juntos 

Há anos não temos planos nem assunto.

As almas não envelhecem_ dizem!

Perdem o elan. Os cabelos somem , 

Ou o peso dos anos os embranquecem!

Nós nos devotamos um ao outro.

Irmos juntos até o fim_ era o projeto.

Mas,no ato final foi só insucesso.

Você parte com seu nome de solteira recuperado.

Eu fico com a solidão no sobrenome.

Triste,com ela já acostumado.

Estávamos juntos mas,acostumados

Vivendo com a solidão ao lado.

Adeus! Longe de mim terás teus dias vazios.

O tédio e a melancolia irão te acompanhar.

Do meu lado, a solidão,fiel companheira

comigo estará.

Há anos fizemos as pazes. Estou em suas mãos,sem remissão.

Ela comigo estará sem impor condição.

 

Maria Dorta   06_09_2023

 

  • Autor: Maria dorta (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 6 de setembro de 2023 12:00
  • Comentário do autor sobre o poema: Treinando e voltando a fazer sopa de letrinhas,
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações: 20
  • Usuário favorito deste poema: Lia Graccho Dutra.

Comentários3

  • DAN GUSTAVO

    Uma sopinha 'agridoce' num misto poético da arte com a tristeza do fim um ciclo amoroso! Lindo apesar de tão pesado tema! Força, linda Dortinha! Uma boa tarde e bom feriado!

    • Maria dorta

      Na verdade,esse tema sempre se repete na vida dos casais. É forte, é triste mas é realidade. Já conheci muitos desses casos...e já eu de se esperar. Tem gente que não tem coragem de agir e vive um " faz de conta". Grata pela tua leitura e participação. Abraços.

    • Lia Graccho Dutra

      Bom dia,
      poeta Maria Dorta:

      Bela, real e verdadeira
      à sua poética!
      Aplausos!
      Muitas vezes,
      também,
      senti solidão.
      Esse tema
      é recorrente
      na poesia
      e na vida.
      Excelente feriado!
      Carinhoso abraço,
      Lia



      • Maria dorta

        Você com sua gentileza e educação é um refrigério com sua participação e comentários inteligentes. Gratidão!

      • Maximiliano Skol

        "Do meu lado, a solidão, fiel companheira
        comigo estará... Ela comigo estará sem impor condição." É isso mesmo, querida amiga Dorta: "Quem tem vida interior, não tem solidão". E você com essa esplêndida vivência interior, aqui, demonstrada e distribuída sobre a comunidade do MLP, com certeza, você se encontra em paz consigo mesma, nessa 'solidão amiga.' Talvez ela somente faça parte da "sopa de letrinhas."
        Um beijo.

        • Maria dorta

          Realmente poeta, você sabe das coisas! A solidão não me pesa e faço dela uma amiga. Sempre fui ensinesmada, tinha poucos amigos mas os que faço,ainda hoje, são como irmãos. Sempre posso contar com eles. E com meus 7 irmãos,todos vivos e morando na mesma cidade. Somos muito unidos. Estar sozinha para mim é escolha. Gosto de minha companhia rsrs e tenhos nos livros amigos de fé e sábios professores. Sou uma geminiana que ama a solidão mas sabe se divertir 'a exaustão se assim quiser. No mais, vou criando outros mundos fictícios...gratidão pela interação. Ela é preciosa para mim. Com admiração.



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.