Harpyja

Abelhas

Vou fugir.

Cavar um túnel no céu.

Navegar pelo oceano dos egos no meu barco de papel.

Partir de mãos dadas com uma tal Tinkerbell,

habitar uma terra onde nunca perderei meus "por quê's" e tal,

junto com a inocência pra esse mundo real tão cruel. 

Preciso ser sempre fiel, uma testemunha de que a Vida

é uma viagem curta. E absurda.

Culpa do mal... 

Normal termos nos esquecido

que o tempo  se desenrola como um carretel.

É banal, mas vale pena se lembrar que há um começo e um final.

Por isso vou fugir, preciso sair de Babel!

Censuram minhas palavras por que?

Não entendem, afinal. 

Na boca parece fel dizer que rasgou o véu, 

Mas é tão bom quanto o mel, que ignoram, e proíbem 

Por ser diferente do igual.  

Comentários3

  • Cecilia

    Harpyja. É gostoso deslisar pelas ondas de seu poema cheio de surpresas boas. Gostei muito.

  • Hébron

    Que poesia agradável, que nos leva por cenários realmente surpreendentes.
    Muito bom.
    Parabéns!
    Abraço

  • Harpyja

    Meu agradecimento a todos que apreciam e comentam meus poemas. É um prazer dividir com vocês um pouco do meu universo interior através da arte, e estou sempre por aqui recebendo um pouco de luz lendo e relendo belos versos vindos de outros universos... Para o fim de semana, plenitude para todos!! Um carinhoso abraço.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.