ALMA TATUADA

Nelson de Medeiros



ALMA TATUADA

 

No auge da descrença desta louca vida,

Sucumbe o bardo a tenebroso desalento!

Às vezes, em torpor, ouve a fala do vento

A lhe dizer que a dor de amor é repetida!

 

Mas, será que a existência é sempre revivida?

Partimos pro céu e voltamos pro tormento?

Pensativo ele, então, se indaga num momento,

Se tal crença é fantasia ou lei que elucida!

 

Não sabe o bardo qual corrente é verdadeira,

Sabe, entretanto, que tem como companheira

Essa amargura que parece eternizada!

 

Mas, que lhe importa donde vem o desengano,

Se o sofrimento, que em seu peito é quase insano,

É dor antiga dentro d! alma tatuada!

 

Nelson de Medeiros

  • Autor: Nelson de Medeiros (Offline Offline)
  • Publicado: 17 de março de 2023 10:05
  • Categoria: Amor
  • Visualizações: 45

Comentários6

  • Sergio Neves

    SERGIO NEVES - ...meu caro, uma poesia poesia! / ...inspiração arrebatadora essa tua! / ...gostei pra caramba! (...em alguns momentos me fez lembrar Vinicius, o de Moraes...) /// Abçs.

  • Nelson de Medeiros

    Bom dia, poeta;
    Gratissimo pelas palavras de incentiv.
    1 ab

  • Hébron

    Caro Nelson, a elegância dos seus versos nos envolve! Um lamento de dor ao melhor estilo.
    Grande abraço

  • Shmuel

    Sempre uma alegria ler as poesias líricas do meu querido poeta, Nelson Medeiros!

    Abraços.

  • Maria do Socorro Domingos

    Poeta Nelson, vim aqui lhe deixar um abraço de gratidão( embora meio atrasado) e estou voltando encantada e com a alma impregnada de poesia! Parabéns por tão belo versejar!

  • Preta Flor

    Sou leitora assídua de teus versos, chapéu atrás de chapéu!
    Que alegria achá-lo, que alegria!



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.