Jaque Vieira

MEMÓRIAS

Como uma linha contínua no plano, continuo sonhando.
Sonhando um dia poder ver esse desfecho.
Assisto de camarote esse sentimento preso nesse lumping  infinito de amor e dor.

Como erradicar o sentimento vicioso e sua existência?
Amores não morrem! Ou morrem? Talvez morram, quem sabe.
Mentir, fingir sua inexistência. Por que não?

Como uma montanha Russa, de subidas e descidas.
Me pego, sonhando acordada, em tê-la e também não tê-la.
Amor correspondido, subindo me leva às alturas.
Amor não vivido, descendo  em queda livre.
Levando-me à loucura.

  • Autor: Jaque Vieira (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 25 de Novembro de 2022 16:08
  • Categoria: Amor
  • Visualizações:

Comentários3

  • LEIDE FREITAS

    O amor não é infinito, mas como disse o poeta "que seja infinito enquanto dure".

    Até breve!

    • Jaque Vieira

      Sim. Que seja eterno enquanto dure!
      Até breve.

    • EVieira

      Se for " Amor não vivido, descendo em queda livre.
      Levando-me à loucura." porém a queda seria nos braços do amor devaneio...Belo poema

      • Jaque Vieira

        Ah, o amor! Rsrs
        Obrigada. Que bom que gostou!

        Abraço.

        • EVieira

          Amor esse que nos leva as núvens... Grato

        • Jorge Jacinto da Silva Jr.

          Loucura... quem não for um pouco louco é pouco! Gostei!



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.